Está a utilizar uma versão de browser mais antiga. Utilize uma versão suportada para obter a melhor experiência possível com o MSN.

Francisco J. Marques nega viagem à Guiné e volta a criticar o Benfica

Logótipo de O Jogo O Jogo 05/09/2017 Hugo Monteiro

Francisco J. Marques negou que tenha viajado à Guiné e volta a deixar críticas ao Benfica.

No programa Universo Porto de Bancada, do Porto Canal, Francisco J. Marques, diretor de comunicação do FC Porto, negou a notícia de que se deslocou à Guiné. "Absolutamente mentira. Nunca fui à Guiné enquanto funcionário do FC Porto nem em qualquer outra circunstância. Gosto de África, mas nunca estive na Guiné. Quem me conhece sabe que jamais contrataria qualquer serviço de bruxaria. É verdade que fui contactado pela CMTV e esclareci, nunca estive na Guiné, não posso ter sido eu. Acresce ainda que as fotos supostamente entregues são de 2011/12. Isso sim, é bruxaria ter sido capaz de antecipar o patrocínio e o equipamento. Falei com o sr. Joaquim Pinheiro, ele sim já esteve na Guiné, até foi mais do que uma vez ao serviço do FC Porto, que costumava viajar com o professor Ilídio Vale, hoje adjunto da seleção, que trabalhou vários anos ano FC Porto e na altura em que era vice-presidente para a formação Chegou a deslocar-se lá e historicamente tem jogadores da Guiné e foi com esse propósito. Disse-me que sempre que o FC Porto vai lá leva a ajuda possível, como medicamentos, camisolas, bolas...", explicou.

"Mais importante do que a reportagem, que é um devaneio daquele senhor que se intitula de mestre, é o comunicado que o Benfica faz. Acho que isso merece alguma atenção. Justifica o comunicado por estar a ser confrontando com vários pedidos de reação. É muito duvidoso, mas como não posso confirmar ou desmentir, adiante. Processo de violação de correspondência. Mentira. Nem eu nem ninguém fez qualquer violação de qualquer sistema informático. Violação de correspondência: mentira absoluta. Divulgação, absolutamente verdade. O FC Porto teve acesso a um conjunto de informações sensíveis, porque temos divulgado muita coisa, mas não está em causa nenhum crime. É quase como se o Nixon se viesse queixar de alguma coisa no caso do Watergate. Este caso é do interesse público. Estamos a fazer a divulgação, porque é importante divulgar. Os adeptos merecem saber o que se faz nas costas deles. Os adeptos do Benfica merecem saber o que os dirigentes fazem o contrário do que apregoam"m sublinhou Francisco J. Marques.

AdChoices
AdChoices

Mais de O Jogo

image beaconimage beaconimage beacon