Está a utilizar uma versão de browser mais antiga. Utilize uma versão suportada para obter a melhor experiência possível com o MSN.

Frelimo saúda forma fluida do diálogo para a paz com a Renamo

Logótipo de O Jogo O Jogo 24/09/2017 Administrator

O porta-voz da Frelimo, partido no poder em Moçambique, saudou hoje a forma fluida do diálogo para a paz com a Renamo, oposição, e remeteu para o presidente Nyusi detalhes sobre um acordo anunciado sábado por Dhlakama.

"Este diálogo tem estado a fluir muito bem, ao mais alto nível, e nós pensamos que é para esse nível que temos que remeter qualquer tipo de apreciação detalhada", refere António Niquice, secretário para a mobilização e porta-voz da Frente de Libertação de Moçambique (Frelimo).

Aquele dirigente falava hoje em Maputo, em resposta à Lusa durante uma conferência de imprensa na sede do partido.

O presidente da Resistência Nacional Moçambicana (Renamo), Afonso Dhlakama, fez no sábado a sua primeira aparição pública desde há ano e meio e anunciou já ter acordo com a Frelimo para a eleição dos governadores provinciais a partir de 2019, em vez de serem nomeados pelo Governo - a eleição é uma das medidas em negociação para se alcançar a um acordo de paz.

António Niquice disse hoje que um "sinal inequívoco" do diálogo construtivo já tinha sido dado no início de agosto com a visita do Presidente da República e líder da Frelimo, Filipe Nyusi, a Dhlakama, na serra da Gorongosa, onde o principal rosto da oposição se encontra refugiado

Nyusi "foi visitar um irmão" num processo "de aproximação das famílias moçambicanas", referiu.

"Queremos saudar esses esforços e enaltecer também o papel que a liderança da Renamo e de outras forças vivas da sociedade têm estado a desencadear em apoio às iniciativas de Filipe Nyusi", concluiu o porta-voz da Frelimo.

Apesar de Governo e Renamo terem assinado em 1992 o Acordo Geral de Paz, e um segundo acordo em 2014 para a cessação das hostilidades militares, Moçambique vive ciclicamente surtos de violência pós-eleitoral, devido à recusa do principal partido da oposição em aceitar os resultados, alegando fraude.

Em maio, o líder da Renamo anunciou uma trégua nos confrontos com as Forças de Defesa e Segurança por tempo indeterminado, após contactos com o chefe de Estado moçambicano.

AdChoices
AdChoices

Mais de O Jogo

image beaconimage beaconimage beacon