Está a utilizar uma versão de browser mais antiga. Utilize uma versão suportada para obter a melhor experiência possível com o MSN.

Furacão Irma: Reino Unido desbloqueia 35 milhões de euros para ajudar vítimas

Logótipo de O Jogo O Jogo 07/09/2017 Administrator

O Reino Unido desbloqueou perto de 35 milhões de euros e enviou um navio militar para ajudar as zonas afetadas pelo furacão Irma, bem como meios aéreos e um grupo de tropas, segundo agências internacionais.

O secretário de Estado dos Negócios Estrangeiros britânico, Alan Duncan, sublinhou que o seu ministério está em "estado de alerta" e a fazer "tudo o que é possível" para prestar assistência às vítimas do furacão Irma.

Após um primeiro anúncio de um desbloqueio de 13 milhões de euros, o Governo Britânico retificou dizendo que o apoio é de perto de 35 milhões de euros.

Segundo o secretário de Estado, o navio militar britânico 'RFA Mounts Bay, que está nas Caraíbas, deverá chegar "ao final do dia" às ilhas britânicas afetadas enquanto os aviões estão prontos para descolar caso seja necessário prestarem assistência.

O Ministério da Defesa britânico anunciou hoje que Londres enviará também "diversas aeronaves, helicópteros e um grupo de trabalho composto por fuzileiros, engenheiros e consultores de saúde" para ajudar nas tarefas humanitárias e de reconstrução.

As ilhas Virgens britânicas "não foram poupadas" e os danos "são sérios" afirmou Duncan.

Anguilla, as ilhas Virgens e as ilhas Turks-et-Caïcos (Ilhas Turcas e Caicos), três territórios britânicos, têm cerca de 88 mil britânicos.

"Vamos avaliar urgentemente as necessidades adicionais das comunidades das Ilhas Virgens Britânicas e da Anguilla para ver o que pode ser feito mais em termos de assistência financeira e humanitária", acrescentou o ministro dos Negócios Estrangeiros britânico, Boris Johnson.

"Os nossos pensamentos e orações estão com todos aqueles cujas casas e cujas vidas foram destruídas ou afetadas de uma forma negativa por esta terrível tempestade", disse a Rainha Isabel II de Inglaterra, em comunicado.

A primeira-ministra britânica, Theresa May, anunciou uma conversa telefónica com o Presidente de França, Emmanuel Macron, na qual terão concordado em "cooperar de perto", juntamente com os holandeses, para "avaliar a extensão dos danos e coordenar os seus esforços de socorro", disse um porta-voz.

Segundo a AP, o gabinete do Presidente de França anunciou hoje que Macron irá viajar para os territórios franceses nas Caraíbas "o mais depressa possível", assim que as condições climatéricas o permitam e que as operações de socorro imediato estejam completas.

"Toda a França está mobilizada" disse hoje Macron, durante uma visita oficial a Atenas.

O furacão Irma atingiu severamente a ilha francesa Saint-Barthélemy (São Bartolomeu) e a parte francesa da ilha San-Martin (São Martinho).

"Os danos são absolutamente terríveis, mais uma vez são desastres que afetam quem vive em condições mais difíceis", lamentou Macron.

O Presidente acrescentou ainda que além de haver uma mobilização imediata, é necessário "tomar medidas contra o aquecimento global" e as alterações climatéricas para que sejam "evitados desastres naturais como este no futuro".

O Irma é, segundo o instituto meteorológico Météo France, o mais longo furacão de categoria 5 na escala de Saffir-Simpson alguma vez registado no mundo, e já causou nove mortos, de acordo com o mais recente balanço provisório.

AdChoices
AdChoices

Mais de O Jogo

image beaconimage beaconimage beacon