Ao utilizar este serviço e o conteúdo relacionado, concorda com a utilização de cookies para análise, anúncios e conteúdos personalizados.
Está a utilizar uma versão de browser mais antiga. Utilize uma versão suportada para obter a melhor experiência possível com o MSN.

Gastão Elias diz que fez um bom jogo apesar de derrota no Rio de Janeiro

Logótipo de LusaLusa 22/02/2017 Vítor Rodrigues
DEAN LEWINS/AAP © EPA / DEAN LEWINS DEAN LEWINS/AAP

Rio de Janeiro, 22 fev (Lusa) – O tenista português Gastão Elias considerou que fez um bom encontro frente ao brasileiro Thiago Monteiro, apesar de ter sido eliminado na primeira ronda do torneio do Rio de Janeiro, na qual o público teve um papel decisivo.

“O público foi uma arma muito importante para ele, pois acredito que se fosse noutro lugar ele não ia conseguir manter um nível tão alto de jogo, porque eu acho que joguei muito bem, muito intenso e se fosse noutro lugar ele em algum momento ia fraquejar, o que não aconteceu hoje”, assumiu Gastão Elias.

Elias, 86.º jogador mundial, perdeu diante do atual 85.º da hierarquia mundial em duas horas e 26 minutos, tendo ainda vencido o primeiro parcial por 6-2, mas perdeu os restantes por 7-6 (7-4) e 6-4.

“Acho que foi um encontro muito positivo, joguei muito bem do início ao final. No ‘tie-break’ tive uma oportunidade e falhei uma bola importante que me dava o 5-3, para mim acho que foi a bola do jogo. Acredito que se tivesse conquistado esse ponto, tinha levado a partida. Acho que ele depois também teve mérito, porque começou a jogar muito bem no segundo 'set'”, referiu.

O português disse que o encontro do Rio de Janeiro “foram dois jogos dentro de um jogo”, porque “as condições mudaram muito durante o encontro”.

“No início estava bastante rápido, estava sol. E ele que é um jogador que gosta de ter tempo para chegar à bola não estava a conseguir um jogo apoiado e com tempo para impor o seu jogo. Isso favoreceu-me muito. Comecei logo muito agressivo, sem lhe dar muito tempo para jogar”, disse.

Contudo, depois “as condições começaram a mudar e foi cada vez mais difícil manter o nível de agressividade, porque ficou muito mais pesado, os jogos começaram a ficar muito mais compridos, as bolas já não andavam tão rápido” e Thiago Monteiro “tinha tempo para fazer o que queria”.

NFO/AMG (VR) // SB

AdChoices
AdChoices
image beaconimage beaconimage beacon