Ao utilizar este serviço e o conteúdo relacionado, concorda com a utilização de cookies para análise, anúncios e conteúdos personalizados.
Está a utilizar uma versão de browser mais antiga. Utilize uma versão suportada para obter a melhor experiência possível com o MSN.

Gastão Elias: "Estou a jogar bem e com confiança"

Logótipo de O Jogo O Jogo 26/05/2017 Hugo M. Monteiro

O tenista português que será em Roland Garros que vai passar à segunda ronda.

O tenista português Gastão Elias mostrou-se confiante de que será em Roland Garros que vai, finalmente, quebrar a barreira da passagem à segunda ronda de um Grand Slam, defendendo que as experiências anteriores o vão ajudar.

"Espero, sinceramente, fazer um bom torneio. Estou a jogar bem e com confiança, por isso acredito que possa ganhar alguns jogos", confessou o número 2 nacional à Agência Lusa.

Portuguese player Gastao Elias in action during the match against the Spanish tennis player Nicolas Almagro in the third day of the Estoril Open in Cascais outskirts of Lisbon Portugal 03 May 2017. MIGUEL A. LOPES/LUSA © Filipe Amorim/Global Imagens Portuguese player Gastao Elias in action during the match against the Spanish tennis player Nicolas Almagro in the third day of the Estoril Open in Cascais outskirts of Lisbon Portugal 03 May 2017. MIGUEL A. LOPES/LUSA

Acabado de chegar a Paris, depois de uma semana de sonho em Lyon, onde derrotou o argentino Juan Martín del Potro e chegou aos primeiros quartos-de-final de um torneio ATP esta temporada, antes de cair diante do sexto tenista mundial, o canadiano Milos Raonic, Gastão Elias é o espelho da segurança.

"Quero, finalmente, ganhar uma ronda num torneio do Grand Slam. Já estive perto de o fazer por duas vezes e creio que, graças a essas experiências, tenha oportunidade de o fazer", disse, referindo-se ao encontro da primeira ronda do US Open do ano passado, em que perdeu, por 6-1, 3-6, 2-6, 6-4 e 7-6 (7-4), com o ucraniano Sergiy Stakhovsky, e ao da primeira ronda de Roland Garros.

Esse dia, em que foi derrotado pelo francês Benoit Paire, por 5-7, 6-3, 4-6, 6-4 e 6-2, ainda está presente na cabeça do tenista da Lourinhã, que não consegue responder, quando interrogado, se hoje, com a experiência que tem, teria vencido o encontro.

"No momento tomei as decisões que achei mais acertadas. Talvez hoje tomasse decisões diferentes, mas a maturidade e a experiência vêm desses erros", explicou.

Depois de semanas de resultados menos conseguidos, que incluíram derrotas na primeira ronda dos 'challengers' de Bordéus e Roma e que o levaram a cair para o 125.º lugar do ranking, a sua pior posição desde 22 de fevereiro de 2016, o número 2 luso reencontrou a 'magia', que lhe valeu a alcunha de Mágico.

"Em Lyon, não mudou muita coisa, sinceramente. Eu perdi nos challengers, mas sentia-me a jogar bem e a treinar melhor do que nunca. Sabia que seria uma questão de pouco tempo até aparecer um bom resultado", frisou.

Assumindo que preferia não encontrar um cabeça de série na primeira ronda, Elias nem hesitou a disparar os nomes dos favoritos a vencer o segundo 'Grand Slam' da temporada, que arranca no domingo e decorre até 11 de junho.

"Os meus favoritos para o torneio são os mesmos que nos últimos 10 anos", brincou, antes de nomear o espanhol Rafael Nadal, o sérvio Novak Djokovic, o suíço Stanislas Wawrinka e o alemão Alexander Zverev.

AdChoices
AdChoices

Mais de O Jogo

image beaconimage beaconimage beacon