Ao utilizar este serviço e o conteúdo relacionado, concorda com a utilização de cookies para análise, anúncios e conteúdos personalizados.
Está a utilizar uma versão de browser mais antiga. Utilize uma versão suportada para obter a melhor experiência possível com o MSN.

Gestores das Zonas de Intervenção Florestal querem resolver problemas de funcionamento

Logótipo de O Jogo O Jogo 07/07/2017 Administrator

As entidades gestoras de Zonas de Intervenção Florestal (ZIF) vão apresentar um caderno reivindicativo ao Governo na próxima semana para que sejam solucionados os problemas de funcionamento daqueles estruturas, foi hoje anunciado.

Em declarações à agência Lusa, no final de uma reunião que juntou 80% das entidades gestoras nacionais, que decorreu em Condeixa-a-Nova, no distrito de Coimbra, o presidente executivo da Caule - Associação Florestal da Beira Serra disse que o modelo de gestão das ZIF (condomínios florestais) precisa de ser "apoiado e melhorado".

"Temos falta de apoio para o funcionamento e para executarmos os nossos planos de defesa da floresta contra incêndios", lamentou Vasco Campos, lembrando que, após os terríveis incêndios de 2003 e 2005, as ZIF foram criadas como os grandes desígnios da defesa da floresta de forma integrada.

Segundo Vasco Campos, que foi o porta-voz da reunião, no atual quadro comunitário as entidades gestoras das ZIF não estão a conseguir fazer os investimentos dos planos de defesa da floresta contra incêndios, contrariamente ao que se verificou no anterior quadro comunitário.

Apesar de este ser o maior problema atualmente, o presidente executivo da Caule, sediada em Oliveira do Hospital, considerou que existem obstáculos ao nível da autoridade das entidades gestoras das ZIF para intervirem "de forma clara nos vários espaços florestais" que gerem.

Vasco Campos mostrou-se também descontente com a existência da figura de "não aderente" nas áreas em que metades dos proprietários decidirem constituir uma ZIF.

"É preciso que o Governo perceba que tem de haver uma aposta em estruturas com dimensão e escala territorial, que possa fazer planeamento, ordenamento, defesa da floresta contra incêndios, luta contra pragas e doenças, de forma territorial, pelo que devem ser acarinhadas e apoiadas pelo Estado", sublinhou.

Salientando que estas questões "foram muito pouco faladas" nesta reforma florestal, o presidente da Caule denunciou uma tentativa do Governo em criar novas estruturas, "como se viessem resolver os problemas, quando devem ser complementares às ZIF e estarem integradas dentro delas".

Em Portugal existem 185 ZIF, geridas por 71 entidades, que gerem uma área que varia entre 850 a 900 mil hectares de área florestal.

AdChoices
AdChoices

Mais de O Jogo

image beaconimage beaconimage beacon