Ao utilizar este serviço e o conteúdo relacionado, concorda com a utilização de cookies para análise, anúncios e conteúdos personalizados.
Está a utilizar uma versão de browser mais antiga. Utilize uma versão suportada para obter a melhor experiência possível com o MSN.

Governo aprova linha de crédito de 3 ME para armazenar excesso de batata

Logótipo de O Jogo O Jogo 27/07/2017 Administrator

O Conselho de Ministros aprovou hoje um decreto-lei para criar uma linha de crédito garantida de três de milhões de euros para armazenagem da batata, tendo em conta o excesso de produção do tubérculo.

"Tendo em conta que os produtores de batata de conservação estão confrontados este ano com um forte desequilíbrio de mercado, que impôs uma descida do preço de venda do produtor para valores abaixo do custo de produção, a retirada de parte da produção do circuito comercial é a medida adequada para restabelecer o equilíbrio entre a oferta e a procura", afirma o Ministério da Agricultura, Florestas e Desenvolvimento em comunicado.

Nesse sentido, o ministério tutelado por Capoulas Santos explica que "o Governo decidiu apoiar a armazenagem e a conservação da batata durante o período em que os preços estão mais baixos, permitindo desta forma que a produção seja lançada no mercado mais tarde, a preços mais elevados e compensadores".

Esta linha de crédito, com um montante total de três milhões de euros, "estabelece um valor individual garantido de 60 euros por tonelada de batata armazenada", com condições a definir em portaria conjunta dos ministros das Finanças e da Agricultura.

Há cerca de duas semanas, o descarregamento de algumas toneladas de batata junto a três hipermercados situados em Salvaterra de Magos, no distrito de Santarém, chamou a atenção para o problema de excesso de produção da batata.

Segundo a associação de produtores de batata (Porbatata), esta é uma situação que aflige vários produtores de batata da região, sendo que o Ministério da Agricultura e a Associação Portuguesa de Empresas de Distribuição (APED) já tinham sido alertados para a situação.

Por sua vez, a APED disse na altura que a quebra do preço pago à produção resulta "exclusivamente da conjuntura de mercado", dado o excesso de produção da batata.

AdChoices
AdChoices

Mais de O Jogo

image beaconimage beaconimage beacon