Está a utilizar uma versão de browser mais antiga. Utilize uma versão suportada para obter a melhor experiência possível com o MSN.

Governo de Macau admite que era inevitável descarregamento de águas residuais

Logótipo de O Jogo O Jogo 31/07/2017 Administrator

O secretário para os Transportes e Obras Públicas de Macau destacou hoje que o descarregamento de águas residuais no mar, durante um dia e meio, devido a obras, foi "como arrancar um dente, tinha de ser feito".

"Aquela é uma reparação que tinha de ser feita. Há situações que nós não gostamos, mas que não podemos evitar. A obra durou cerca de dia e meio e demoramos mais umas horas para reabrir a ETAR [Estação de Tratamento de Águas Residuais]. Fizemos um esforço para que esse incómodo fosse reduzido no mais curto espaço de tempo possível. É como arrancar um dente, tem de ser", disse Raimundo do Rosário, após uma reunião com uma comissão da Assembleia Legislativa.

As águas residuais de Macau foram diretamente descarregadas no mar devido a uma obra no coletor de descarga de efluentes da ETAR, que obrigou à sua paralisação.

O secretário não revelou o volume de águas residuais que foram descarregadas, apesar de, dias antes da obra, ter indicado serem "muitos metros cúbicos", motivo pelo qual não podiam ser armazenadas.

"Não temos reservatórios para isso. São muitos metros cúbicos, não há possibilidade de armazenar nem uma hora, nem duas horas, é muita quantidade", afirmou no dia 20 deste mês.

A Direção dos Serviços de Proteção Ambiental também não forneceu os dados concretos, mas estatísticas disponíveis na sua página na Internet demonstram que, em maio, a ETAR recebeu 4.741.825 metros cúbicos de águas residuais, o que resulta numa média diária de quase 153 mil metros cúbicos por dia. Assim, a obra de um dia e meio terá resultado no descarregamento de cerca de 229 mil metros cúbicos de águas residuais.

A ETAR de Macau tem uma capacidade máxima diária de 144.000 metros cúbicos e há muito que está sobrecarregada.

Em março do ano passado, o secretário admitia que a estrutura tinha atingido o seu limite há seis anos.

"Já se chegou ao limite. É um problema, e temos de passar por um tempo alargado, porque a construção da ETAR leva muito tempo", disse na altura.

Segundo as Linhas de Ação Governativa de 2017, uma nova ETAR está a ser planeada "a sul do posto fronteiriço da Ponte Hong Kong-Zhuhai-Macau".

AdChoices
AdChoices

Mais de O Jogo

image beaconimage beaconimage beacon