Está a utilizar uma versão de browser mais antiga. Utilize uma versão suportada para obter a melhor experiência possível com o MSN.

Governo reorganiza apoios a pessoas com deficiência

Logótipo de O Jogo O Jogo 07/10/2017 Administrator

O Governo instituiu a Prestação Social de Inclusão (PSI), com o que visa reorganizar os apoios prestados às pessoas portadoras de deficiência, que são agregados e reestruturados.

No preâmbulo do Decreto-Lei 126-A/2017, publicado no Diário da República de sexta-feira, o executivo declara que "visa melhorar a proteção social das pessoas com deficiência, promover o combate às situações de pobreza e fomentar a participação social e laboral e contribuir para a autonomização das pessoas com deficiência".

Em substância, a PSI é composta por três componentes, a saber, base, complemento e majoração.

A primeira "destina-se a compensar os encargos gerais acrescidos que resultam da condição de deficiência e visa substituir o subsídio mensal vitalício e a pensão social de invalidez".

O complemento, por seu lado, é devido "na eventualidade de carência ou insuficiência de recursos", esclarece-se no texto legal, considerando-o "um instrumento de combate à pobreza das pessoas com deficiência".

Já a majoração destina-se a "substituir as prestações que, no atual regime de proteção na deficiência, se destinam a compensar os encargos específicos resultantes da deficiência".

No texto, assinado por vários ministros -- Finanças, Defesa, Trabalho, Solidariedade e Segurança Social -- e o secretário de Estado adjunto da Saúde, além naturalmente do primeiro-ministro, adianta-se que a concretização da medida vai ser faseada.

Para começar, vai ser privilegiada a "resposta à especial debilidade na proteção social das pessoas com deficiência em idade ativa".

Para o Governo, "a possibilidade de acesso a esta medida pelas pessoas com deficiência, independentemente da sua situação laboral, é porventura a conquista com maior impacto na vida das pessoas com deficiência".

Desta forma, realça-se no texto, agora "o exercício de uma atividade profissional deixa de constituir um obstáculo no acesso à proteção social, rompendo com uma matriz de apoio social quase exclusivo a situações de inatividade".

AdChoices
AdChoices

Mais de O Jogo

image beaconimage beaconimage beacon