Ao utilizar este serviço e o conteúdo relacionado, concorda com a utilização de cookies para análise, anúncios e conteúdos personalizados.
Está a utilizar uma versão de browser mais antiga. Utilize uma versão suportada para obter a melhor experiência possível com o MSN.

Grande Prémio da Malásia sai da Fórmula 1 em 2018

Logótipo de O Jogo O Jogo 07/04/2017 Hugo M. Monteiro
© Fornecido por O jogo

Custos financeiros e baixas receitas na origem da decisão

O Grande Prémio da Malásia sairá do Mundial de Fórmula 1 já a partir de 2018, devido aos custos financeiros e baixas receitas, anunciou o primeiro-ministro malaio, Najib Razak.

"O Conselho de Ministros decidiu acabar com o Grande Prémio de Fórmula 1 a partir de 2018, devido à baixa rentabilidade, em comparação com os custos", explicou Najib Razak, em comunicado.

Por seu turno, o diretor-geral das operações comerciais da Fórmula 1, Sean Bratches, considerou "triste dizer adeus a um membro da família".

"Aproveito esta oportunidade para agradecer ao circuito internacional de Sepang pela sua hospitalidade e profissionalismo ao longo destes anos em que esteve vinculado ao desporto automóvel", destacou, também em comunicado, Sean Bratches.

Desta forma, o último Grande Prémio da Malásia, que se disputa desde 1999, realiza-se a 1 de outubro, dia da 15.ª prova do Mundial.

Apesar desta 'despedida', o grupo público malaio de energia Petronas, patrocinador do Grande Prémio da Malásia, manterá o vínculo com a escuderia da Mercedes.

Em finais de 2016, o diretor do circuito de Sepang, Razlan Razali, já dava sinais de que a Malásia deixaria o 'circo', queixando-se da pouca adesão da população.

"O público local não compra bilhetes para assistir ao Grande Prémio", lamentava Razali numa entrevista à agência AFP, acrescentando que na edição de 2016 estiveram apenas 45.000 espetadores a acompanhar a corrida em Sepang, cujo circuito tem capacidade para 120.000 lugares.

Além dos bilhetes, o responsável da prova malaia acrescentou que a corrida perdeu 200 mil milhões de telespetadores desde 2008, reiterando que organizar um grande prémio "é muito caro".

Com a saída da Malásia, o Mundial de 2018 terá 21 corridas, mais uma do que a edição deste ano, em virtude das entradas dos grandes prémios de França e Alemanha.

AdChoices
AdChoices

Mais de O Jogo

image beaconimage beaconimage beacon