Ao utilizar este serviço e o conteúdo relacionado, concorda com a utilização de cookies para análise, anúncios e conteúdos personalizados.
Está a utilizar uma versão de browser mais antiga. Utilize uma versão suportada para obter a melhor experiência possível com o MSN.

Hélio Sousa assume o desejo de conquistar o Europeu

Logótipo de O Jogo O Jogo 21/03/2017 O Jogo

Selecionador nacional dos sub-19, que esta semana iniciam a Ronda de Elite, assume "grandes responsabilidades"

© Filipe Amorim/Global Imagens

Hélio Sousa, treinador da Seleção Nacional de sub-19, garante que a pressão e a responsabilidade de Portugal para chegar ao próximo Europeu são elevadas, mas independentes do título de sub-17 conquistado em 2016.
Portugal inicia esta quinta-feira a Ronda de Elite de acesso ao Campeonato da Europa, encontrando pelo caminho as seleções da Croácia, da Turquia e da Polónia. Depois de ter conduzido boa parte dos jogadores chamados para este torneio ao triunfo no Europeu de sub-17, o técnico português enalteceu o "êxito assinalável" do país nos últimos anos no futebol de formação.

"A pressão em relação a Portugal é sempre a mesma e é sempre alta. Somos um dos países de topo no futebol de formação. Temos tido um êxito assinalável e esperamos voltar a ter esse êxito. Conseguindo estar nesta fase final acreditamos que é sempre possível chegar o mais longe possível e o mais longe possível é vencer", afirmou.

Confrontado com uma eventual responsabilidade extra pela vitória no Europeu de sub-17, Hélio Sousa defendeu que esse estatuto não alterou em nada a preparação: "Traz a mesma responsabilidade que sempre impusemos a nós próprios e que é grande."

O antigo campeão do Mundo de sub-20, em Riade, em 1989, vincou, porém, a importância de não desvalorizar esta Ronda de Elite, considerando-a mesmo como a fase "mais difícil".
"Só passa uma equipa. Esperamos continuar a evoluir e a cumprir os objetivos a que nos propomos. Vamos fazer tudo para sermos os mais fortes", acrescentou.

Relativamente aos adversários Croácia, Turquia e Polónia, Hélio Sousa assinalou as diferenças: "A Croácia é uma geração que já vem com excelentes resultados no espaço competitivo dos sub-17; a equipa turca tem sempre jogadores irreverentes e com qualidade técnica; e a Polónia é sempre uma equipa bastante competitiva, com um futebol mais físico".

O selecionador de sub-19 realçou ainda o significado da conquista recente do Torneio de La Manga no trabalho da equipa para chegar ao Europeu. "Foi um momento competitivo muito bom, que nos levou a ter uma boa evolução. Deixámos uma equipa mais capaz e com mais opções de enfrentar o futuro", explicou.

AdChoices
AdChoices

Mais de O Jogo

image beaconimage beaconimage beacon