Está a utilizar uma versão de browser mais antiga. Utilize uma versão suportada para obter a melhor experiência possível com o MSN.

"Herrera devia ser mais egoísta", afirma antigo selecionador mexicano

Logótipo de O Jogo O Jogo 11/10/2017 Francisco Sebe

Miguel Herrera, ex-selecionador do México, garante que o médio do FC Porto só precisa de ter confiança para render mais.

Héctor Herrera ressurgiu ao seu melhor nível nos dois últimos jogos de exigência máxima, contra o Mónaco e o Sporting, recuperando protagonismo no FC Porto. Miguel Herrera, treinador do América e ex-selecionador do México, trabalhou com o médio na seleção tricolor e não se mostrou admirado, em entrevista exclusiva a O JOGO. "Não tenho dúvidas de que o Herrera é um grande jogador em qualquer equipa, seja no FC Porto, seja onde for. Na seleção foi sempre um jogador muito importante", explicou. Mas a carreira do mexicano no Dragão nem sempre primou pela consistência das suas exibições. "Mas tem cumprido. Claro que os altos e baixos são normais, ninguém joga sempre ao mesmo nível. Mas quando uma equipa não ganha títulos, como tem sido o caso do FC Porto, as alterações no onze são mais frequentes, porque o treinador vai procurar outras soluções e isso implica muitas vezes tirar jogadores da equipa, prejudicando o seu rendimento", argumentou.

© Octávio Passos/Global Imagens

citacao"Não tenho dúvidas de que o Herrera é um grande jogador em qualquer equipa, seja no FC Porto, seja onde for"

Héctor Herrera recuperou a titularidade no FC Porto em Vila do Conde, à sexta jornada, e não voltou a sair da equipa. "É uma questão de confiança, de sentir que o treinador está com ele, que acredita, que o apoia, que valoriza aquilo que faz, que o responsabiliza e lhe põe pressão em cima", justificou o ex-selecionador do México. Nos dois últimos jogos, a posição mais adiantada de Héctor Herrera no meio-campo despertou curiosidade pela eficácia demonstrada na pressão à saída de bola do adversário: "Comigo jogou como segundo médio de contenção, porque não larga o adversário, pressiona e marca bem. Também se sente muito à-vontade pela direita, fecha bem, e rompe em contra-ataque com facilidade. Mas tem qualidade para construir, boa condução de bola e aparece muito bem numa segunda linha junto à área. Devia talvez arriscar um pouco mais no remate, ser um pouco mais egoísta quando tem espaço para rematar à baliza". Miguel Herrera valorizou ainda o trabalho de Sérgio Conceição nesta fase em que o médio volta a estar em destaque. "Sérgio Conceição já deve ter percebido aquilo que tem e o Héctor já sentiu que está a apostar nele", finalizou.

AdChoices
AdChoices

Mais de O Jogo

image beaconimage beaconimage beacon