Está a utilizar uma versão de browser mais antiga. Utilize uma versão suportada para obter a melhor experiência possível com o MSN.

Impacto de 600 milhões mostra o que foi o sacrifício dos trabalhadores -- FESAP

Logótipo de O Jogo O Jogo 08/09/2017 Administrator

Lisboa, 08 de set (Lusa) - O dirigente da FESAP José Abraão afirmou hoje que o impacto orçamental estimado pelo Governo para o descongelamento das progressões, de 600 milhões de euros, mostra o "sacrifício que foi pedido aos trabalhadores" nos últimos anos.

"Ficámos impressionados com aquilo que o Governo diz que poderá vir a custar o descongelamento das progressões e ficámos a saber melhor o enormíssimo sacrifício que foi pedido aos trabalhadores da administração pública para ultrapassar as dificuldades do país", disse o dirigente sindical.

José Abraão falava aos jornalistas à saída da reunião com a secretária de Estado do Emprego Público, Fátima Fonseca, no Ministério das Finanças, onde foi entregue o relatório sobre o impacto orçamental do descongelamento das progressões.

"É um relatório muito incompleto, faltam as administrações local e regional e uma parte da administração central", contou o sindicalista, que voltou a recusar que o descongelamento seja faseado, como defende o Governo.

O dirigente da FESAP - Federação dos Sindicatos dos Trabalhadores da Administração Pública disse estar disposto a negociar, mas recusou que a reposição da "normalidade" seja "receber aos poucochinhos".

José Abraão espera que o OE2018 signifique um "virar de página", mas sublinha que não se pode deixar de cumprir "a constitucionalidade das normas, a proporcionalidade e a universalidade aos trabalhadores da administração pública na reposição de direitos.

AdChoices
AdChoices

Mais de O Jogo

image beaconimage beaconimage beacon