Está a utilizar uma versão de browser mais antiga. Utilize uma versão suportada para obter a melhor experiência possível com o MSN.

Incêndios: Autarquia preocupada com material lenhoso acumulado em floresta da Figueira da Foz

Logótipo de O Jogo O Jogo 14/08/2017 Administrator

Restos de troncos de pinheiros, ramos e outro material lenhoso está acumulado nas bermas da estrada florestal da Mata Nacional de Quiaios, na Figueira da Foz, distrito de Coimbra, situação que está a preocupar as autoridades locais.

No local, um troço de cerca de 500 metros de estrada na zona da Lagoa da Vela, a agência Lusa constatou a existência de depósitos de material lenhoso, alguns com vários metros de altura, na mata cuja gestão é da responsabilidade do Instituto de Conservação da Natureza e Florestas (ICNF).

Ouvido pela Lusa, o comandante operacional da Proteção Civil Municipal da Figueira da Foz, Nuno Osório, afirmou que os serviços camarários do Gabinete Técnico Florestal "desenvolveram esforços" para a remoção, há três semanas, da estilha (espécie de serradura proveniente do destroçamento do material lenhoso) ali acumulado e que essa operação foi cumprida pela empresa que opera ao serviço do ICNF.

"Temos desenvolvido todos os esforços para tirar aquele material dali e, mesmo não sendo responsabilidade nossa, a estilha foi removida há cerca de três semanas", indicou.

Nuno Osório disse, no entanto, desconhecer a existências de novos depósitos de material lenhoso junto à estrada, lamentando que os trabalhos de limpeza da mata, aparentemente, estejam a ser feitos "no período crítico de incêndios florestais".

Há cerca de 15 dias, um incêndio naquela zona florestal, a poucos quilómetros dos depósitos de material lenhoso, mobilizou cerca de 250 operacionais e 11 meios aéreos.

Já o presidente da Câmara da Figueira da Foz, João Ataíde, disse que a autarquia tem promovido "todas as medidas necessárias" para aquele material ser retirado: "É uma questão de urgência, prevenção e segurança", argumentou o autarca.

João Ataíde adiantou que "da última vez" a remoção da estilha - alguma da qual também se mantém acumulada - foi tratada "diretamente" com a empresa que trabalha com o ICNF, confirmando que a recolha foi feita.

A agência Lusa contactou o ICNF, questionando o porquê daquele material lenhoso se encontrar acumulado na mata de Quiaios, qual a tipologia dos trabalhos e de quem é a responsabilidade da remoção, mas até ao momento não obteve resposta.

AdChoices
AdChoices

Mais de O Jogo

image beaconimage beaconimage beacon