Está a utilizar uma versão de browser mais antiga. Utilize uma versão suportada para obter a melhor experiência possível com o MSN.

Incêndios: Desempregados vigiam floresta em Famalicão e juntam 220 euros ao subsídio

Logótipo de O Jogo O Jogo 02/08/2017 Administrator

Onze desempregados vão estar, durante o verão, envolvidos na vigilância e prevenção de incêndios florestais em Famalicão, juntando assim mais cerca de 220 euros por mês ao subsídio que estão a receber, informou hoje o município.

Em comunicado, a Câmara acrescenta que, para o efeito, apresentou uma candidatura à Medida Contrato Emprego Inserção do Instituto de Emprego e Formação Profissional (IEFP).

Os vigilantes contratados do IEFP recebem, por mês, uma bolsa no valor de cerca de 80 euros, um subsídio de alimentação que ronda os 90 euros e um subsídio de transporte, que varia de acordo com a morada de residência de cada um, mas cuja média ronda os 50 euros.

"Os valores são suportados pela câmara municipal e acrescem ao subsídio de desemprego de cada um", refere o comunicado.

Uma brigada de vigilância fixa, distribuída pelas torres de vigia do concelho, e duas equipas de vigilância móvel, que percorrem em motorizadas o território florestal, são as apostas do Programa Municipal de Prevenção de Incêndios Florestais de Vila Nova de Famalicão, que vigora até 30 de setembro.

Ocupando as torres de vigia localizadas em três diferentes pontos do concelho (Santa Catarina, em Calendário, Monte do Xisto, em Jesufrei, e Santa Cristina, em Requião), a brigada fixa tem como objetivo detetar focos de ignição.

As equipas móveis procuram vigiar os vários pontos da floresta, sensibilizando a população para a proteção do território.

Este dispositivo tem ainda o apoio da Equipa de Sapadores Florestais que, para além da missão de vigilância, efetua a primeira intervenção, colaborando também nas ações de combate e rescaldo dos focos de incêndio.

De forma a abranger o horário com maior probabilidade de ocorrência de incêndios, será garantida a permanência de vigilância entre as 12:30 e as 19:30, no regime de jornada contínua de trabalho de segunda-feira a sexta-feira.

Aos fins de semana e feriados, a vigilância será assegurada pelos elementos da Polícia Municipal.

Para o vice-presidente da autarquia, e também responsável pelo pelouro da Proteção Civil, Ricardo Mendes, "com este dispositivo de prevenção e deteção, o Município de Famalicão está preparado para enfrentar o período crítico de risco de incêndio".

"Temos desenvolvido, ao longo de todo o ano, um trabalho de sensibilização com os proprietários dos terrenos, tendo em vista a limpeza florestal, o que tem sido uma mais-valia para este programa", sublinhou.

Segundo o comunicado, até final de julho foram registadas 18 ocorrências, com uma área ardida total de um hectare.

O território florestal concelhio é constituído por cerca de seis hectares.

Para além dos vigilantes do IEFP e das corporações de bombeiros do concelho, o Programa Municipal de Prevenção de Incêndios Florestais conta também com a GNR, Polícia Municipal e Sapadores Florestais.

AdChoices
AdChoices

Mais de O Jogo

image beaconimage beaconimage beacon