Está a utilizar uma versão de browser mais antiga. Utilize uma versão suportada para obter a melhor experiência possível com o MSN.

Incêndios: Dois fogos em Oleiros permanecem ativos, mas com "situação mais estável"

Logótipo de O Jogo O Jogo 25/08/2017 Administrator

Os dois incêndios que lavram hoje em Oleiros (Castelo Branco) apresentam "uma situação bem mais estável" em comparação à tarde de quinta-feira, disse hoje, pelas 19:00, a Proteção Civil, indicando que vai "apostar tudo nas próximas horas" para dominá-los.

No habitual 'briefing' da Autoridade Nacional de Proteção Civil (ANPC), em Oeiras, distrito de Lisboa, a adjunta de operações Patrícia Gaspar informou que desde as 00:00 de hoje se registaram 98 ocorrências de incêndios florestais, das quais apenas uma se mantém em curso - um fogo que lavra em Celorico de Basto, no distrito de Braga.

Além deste incêndio, a responsável da Proteção Civil destacou como principais ocorrências ativas os dois fogos que lavram no concelho de Oleiros. Um deles deflagrou na quarta-feira, pelas 13:00, na localidade de Selada das Pedras, e outro começou na quinta-feira, cerca da 01:00, na localidade de Poeiros.

Patrícia Gaspar indicou que os dois incêndios em Oleiros apresentam "uma situação bem mais estável" comparativamente à tarde de quinta-feira, lembrando que a noite de quinta-feira foi "muito trabalhosa" para os operacionais no terreno.

De acordo com a adjunta de operações da ANPC, a tarde de hoje foi de "consolidação do perímetro em fase de resolução, resolvendo pontos quentes" nos dois fogos que lavram em Oleiros.

Ainda assim, estes dois incêndios ameaçaram aldeias ao final da tarde de hoje, pelo que a Proteção Civil teve que protegê-las, quer com meios terrestres, quer com meios aéreos.

O fogo na localidade de Selada das Pedras ameaçou as aldeias de Silvosa, Vinha e Paiagua; já o incêndio na localidade de Poeiros ameaçou as povoações de Cardosa e de Amarcial do Campo, precisou Patrícia Gaspar, afirmando que ainda não houve necessidade de retirar pessoas das habitações.

Sem conseguir prever quando estarão dominados estes dois fogos em Oleiros, a Proteção Civil vai "preparar toda a estratégia para as próximas horas", de forma a aproveitar as condições meteorológicas mais favoráveis no período da noite.

Segundo a página da internet da ANPC, às 19:30 de hoje o incêndio na localidade de Selada das Pedras era a ocorrência que mobilizava mais meios, com o trabalho de 592 operacionais, apoiados por 189 meios terrestres e 11 meios aéreos.

Já o fogo na localidade de Poeiros mobilizava pelas 19:30 de hoje 392 operacionais, 120 veículos e três meios aéreos.

Relativamente ao fogo em Celorico de Basto, em Braga, estava a ser combatido por 80 operacionais, auxiliados por 21 meios terrestres e um meio aéreo.

Patrícia Gaspar disse que os meios de reforço no país que estiveram a combater hoje os fogos foram três helicópteros da Suíça, 26 grupos de reforço dos corpos de bombeiros, 16 máquinas de rasto e oito pelotões das Forças Armadas no apoio às ações de rescaldo e de vigilância dos incêndios florestais.

Durante a noite de hoje está previsto ainda um reforço com duas brigadas de sapadores florestais, afirmou a adjunta de operações da ANPC.

A partir de hoje haverá uma redução das temperaturas e um aumento da humidade relativa, o que representa "um cenário mais favorável" ao combate dos fogos florestais.

Apesar do "desagravamento do cenário meteorológico", Patrícia Gaspar afirmou que até às 00:00 de sábado se mantém o estado de alerta laranja para os distritos de Bragança, Beja, Castelo Branco, Faro, Santarém, Vila Real, Guarda, Portalegre e Viseu e o estado de alerta amarelo para os restantes distritos de Portugal continental.

O número de feridos nos fogos mantém-se inalterado desde a manhã de hoje, registando-se desde 10 de agosto e até hoje 100 pessoas assistidas, 163 feridos, dos quais 153 feridos ligeiros e dez feridos graves, e uma vítima mortal -- o piloto do helicóptero que combatia os fogos em Castro Daire.

Esta morte soma-se às 64 registadas na sequência do incêndio que deflagrou em junho em Pedrógão Grande.

AdChoices
AdChoices

Mais de O Jogo

image beaconimage beaconimage beacon