Está a utilizar uma versão de browser mais antiga. Utilize uma versão suportada para obter a melhor experiência possível com o MSN.

Incêndios: Exército mobilizou 112 militares para apoiar combate a fogo em Abrantes

Logótipo de O Jogo O Jogo 10/08/2017 Administrator

O Exército anunciou hoje que tem no terreno 112 militares a apoiar o combate ao incêndio que lavra no concelho de Abrantes, e 27 meios, entre as quais quatro máquinas de rasto e quatro viaturas de transporte de pessoal.

Quatro aldeias foram evacuadas hoje em Abrantes devido a um incêndio que lavra há cerca de 24 horas naquele concelho do distrito de Santarém, tendo as chamas consumido uma casa de primeira habitação.

No âmbito da colaboração em missões de proteção civil, o Exército emitiu hoje um comunicado onde indica que já mobilizou os meios solicitados pela Autoridade Nacional de Proteção Civil (ANPC) para ajudar a combater o incêndio que deflagrou na Aldeia do Mato, concelho de Abrantes.

"Encontram-se já no terreno um total de 112 militares, pertencentes a quatro pelotões de Rescaldo e Vigilância Pós-Incêndio, a 4 Destacamentos de Engenharia e às Equipas de Evacuação de Pessoal.

Neste apoio estão empenhadas 27 Viaturas, entre as quais quatro máquinas de rasto e quatro viaturas de transporte de pessoal", preparadas para retirar a população "para o Regimento de Apoio Militar de Emergência (RAME), o qual está a prestar apoio logístico a nove cidadãos, entre estes duas crianças, oriundos da Povoação de Medroa, os quais se encontram acompanhados por uma equipa de dois psicólogos da Câmara Municipal de Abrantes e quatro técnicos da Segurança Social", refere o Exército.

"Nesta operação, além do RAME, estão envolvidos meios da Brigada Mecanizada, do Regimento de Engenharia N.º 1, do Regimento de Engenharia N.º 3, do Regimento de Paraquedistas e do Regimento de Manutenção", acrescenta.

Em declarações à Lusa, a presidente da autarquia, Maria do Céu Albuquerque, disse que o incêndio "está longe de estar controlado", tendo informado que foram evacuadas, "por precaução", as aldeias de Medroa, Braçal, Amoreira, Pucariça, nas freguesias de Aldeia do Mato e Souto, Rio de Moinhos.

"As pessoas [destas aldeias] estão a ser dirigidas para o Regimento de Apoio Militar de Emergência", no Quartel Militar de Abrantes, acrescentou, tendo referido ainda que as chamas já haviam alastrado às localidades de Paul, Sentieiras e Alto da Chainça, na União de Freguesias de Abrantes, e à localidade de Pucariça, na freguesia de Rio de Moinhos.

Também as populações de Aldeia do Mato e de Carreira do Mato "estão ameaçadas", indicou a autarca, tendo referido que o vento "mudou de direção" e está "a propagar o incêndio até à freguesia de Martinchel", ainda em Abrantes e na fronteira com o concelho de Constância.

Foi na Aldeia do Mato que as chamas consumiram uma casa de primeira habitação, tendo ficado desalojadas cinco pessoas, que se encontravam na praia fluvial.

Estão no local a combater este incêndio, com três frentes ativas, segundo a página da ANPC, 634 operacionais, 203 viaturas e oito meios aéreos, tendo Maria do Céu Albuquerque referido esperar pelo "reforço de mais cinco meios aéreos nacionais e internacionais, confirmado pela ministra da Administração Interna", e que "vão operar enquanto não anoitecer".

O incêndio deflagrou às 18:14 de quarta-feira na União de Freguesias de Aldeia do Mato e Souto, no concelho de Abrantes.

Segundo a página da ANPC estão cortadas as estradas EN 358, EM 544, e EM 1212-1.

AdChoices
AdChoices

Mais de O Jogo

image beaconimage beaconimage beacon