Está a utilizar uma versão de browser mais antiga. Utilize uma versão suportada para obter a melhor experiência possível com o MSN.

Incêndios: Líder do PSD acusa Estado de "descoordenação" e "desorientação" com a proteção civil

Logótipo de O Jogo O Jogo 25/08/2017 Administrator

O presidente do PSD, Pedro Passos Coelho, afirmou hoje que não há "paralelo" na história democrática do país de "tanta descoordenação e desorientação" do Estado em relação à proteção civil nas questões relacionadas com os incêndios florestais.

"Não é preciso olhar muito para as notícias todos os dias para termos noção de que aquilo que se tem vindo a passar em Portugal, ao nível da proteção civil, não tem paralelo na nossa história democrática", disse.

"Eu, pelo menos, não tenho memória de haver tanta descoordenação, tanta desorientação e ver o Estado falhar tão clamorosamente, como tem falhado, ao nível da proteção civil", acrescentou.

Pedro Passos Coelho falava em Arronches, no distrito de Portalegre, na apresentação dos candidatos do partido aos vários órgãos autárquicos daquele concelho alentejano, liderado pela social-democrata Fermelida Carvalho, que se recandidata a um terceiro mandato.

Para o líder do PSD, o Estado tem também "falhado clamorosamente" noutras áreas de soberania, como a Justiça, Educação, Economia e a Saúde.

"O Estado tem falhado clamorosamente, assim como a responsabilidade política. Mas quando olhamos para áreas importantes de futuro, como a Educação, a Saúde, como todo o domínio das qualificações, áreas económicas e sociais, constatamos que não há um fio condutor hoje que permita às pessoas perceber o que se está a fazer para preparar um futuro melhor", lamentou.

Pedro Passos Coelho acrescentou, ainda, que é com "certo desgosto" que observa que o Governo se mostra mais preocupado com a "gestão do dia-a-dia" do país.

"É com um certo desgosto que vemos que, quer o Governo, quer a maioria, está sempre mais preocupada com o dia-a-dia, com a gestão quotidiana e menos com o futuro do país", disse.

Sobre as eleições autárquicas de 01 de outubro, o líder do PSD mostra-se "confiante" num bom resultado eleitoral.

"De um modo geral eu devo dizer que estou confiante com estas eleições autárquicas no país. Julgo que o PSD se apresenta nestas eleições, [com] aquilo que os analistas políticos chamam de baixas expectativas, pelo menos quando os ouvimos, mas eu devo dizer que tenho uma boa expectativa em relação a estas eleições", afirmou.

AdChoices
AdChoices

Mais de O Jogo

image beaconimage beaconimage beacon