Está a utilizar uma versão de browser mais antiga. Utilize uma versão suportada para obter a melhor experiência possível com o MSN.

Incêndios: Perspetiva-se uma noite "muito longa" em Vila Real devido ao fogo

Logótipo de O Jogo O Jogo 09/08/2017 Administrator

O presidente da Câmara de Vila Real perspetiva uma "noite longa" devido ao incêndio que lavra na serra do Alvão, pediu à população para estar atenta e mostrou-se perplexo com outro fogo que deflagrou ao final da tarde.

Rui Santos, que falava aos jornalistas no bairro do Bacelar, em Lordelo, onde as chamas se aproximaram das casas, fez um ponto da situação deste incêndio que deflagrou às 16:27.

"Estamos obviamente muito preocupados porque caiu a noite. Os meios aéreos não podem atuar à noite e o vento é muito forte, com sentidos variados e com projeções de faúlhas a uma distância considerável e alguma imprevisibilidade no sentido em que caminhará o incêndio", afirmou.

Apesar das dificuldades no combate ao fogo, o autarca quis deixar uma mensagem de tranquilidade e pediu à população para se manter atenta.

"Os meios estão no terreno, estamos a retirar aqui e ali uma ou outra pessoa de forma pontual, pessoas que tenham debilidades e afetadas pelo fumo. Será uma noite muito longa, mas temos esperança de que os meios que temos no terreno possam evitar o pior", frisou.

Rui Santos revelou preocupações com todas as localidades desta encosta da serra, precisamente "pela incerteza do vento e pela incerteza dos lados para que o vento vai mudando".

"Lamentamos obviamente que, por volta das 19:00, tenha o ocorrido um novo incêndio na Pena, do lado oposto ao sítio onde deflagrou este, o que nos deixa obviamente perplexos, mas estamos a tentar fazer o nosso melhor", sublinhou.

Para o terreno foram mobilizados 365 operacionais, apoiados por 100 viaturas e ainda máquinas de rasto.

"Tudo faremos para que os prejuízos sejam minimizados, mas obviamente não podemos garantir nada neste momento", salientou.

No bairro do Bacelar juntaram-se vários habitantes preocupados com a proximidade do fogo e que contaram à Lusa que "as chamas chegaram muito rápido e com muita força".

Em Outeiro, o fogo chegou às casas e queimou quintais, tendo rodeado ainda as aldeias de Paredes, Testeira, Relva e Borbela.

Dois operacionais, um bombeiro e um elemento da Força Especial de Bombeiros, foram assistidos devido a ferimentos ligeiros.

AdChoices
AdChoices

Mais de O Jogo

image beaconimage beaconimage beacon