Está a utilizar uma versão de browser mais antiga. Utilize uma versão suportada para obter a melhor experiência possível com o MSN.

Incêndios: Só alguns reacendimentos no concelho de Vale de Cambra - Bombeiros

Logótipo de O Jogo O Jogo 16/10/2017 Administrator

O comandante dos Bombeiros de Vale de Cambra, Vítor Machado, disse que a situação no seu concelho está "mais calma" hoje de manhã, havendo apenas alguns reacendimentos.

"Do meu lado, está mais calmo. Mas, apesar da humidade que entrou, ainda há alguns reacendimentos", disse à Lusa o comandante Vítor Machado.

O mesmo responsável adiantou ainda que durante a madrugada, no concelho de Vale de Cambra, arderam "duas casas de arrumos e uma escola que estava desativada, que ficou parcialmente afetada, além de dois veículos".

De acordo com a página oficial da Autoridade Nacional de Proteção Civil (ANPC), o incêndio em Vale de Cambra, distrito de Aveiro, mobilizava, às 10:30 de hoje, 292 operacionais, apoiados por 94 veículos.

O secretário de Estado da Administração Interna informou no domingo que as autoridades tinham detido em flagrante delito o presumível autor deste fogo, que deflagrou às 07:15 de domingo na zona de Macieira de Cambra.

Segundo Jorge Gomes, que falava à RTP num posto de comando instalado no concelho vizinho de Arouca, o homem foi "entregue de imediato à Polícia Judiciária", devendo ser presente hoje a primeiro interrogatório judicial para aplicação das medidas de coação.

As centenas de incêndios que deflagraram no domingo, o pior dia de fogos do ano segundo as autoridades, provocaram pelo menos 20 mortos e dezenas de feridos, além de terem obrigado a evacuar localidades, a realojar as populações e a cortar o trânsito em dezenas de estradas.

O primeiro-ministro, António Costa, anunciou que o Governo assinou um despacho de calamidade pública, abrangendo todos os distritos a norte do Tejo, para assegurar a mobilização de mais meios, principalmente a disponibilidade dos bombeiros no combate aos incêndios.

Portugal acionou o Mecanismo Europeu de Proteção Civil e o protocolo com Marrocos, relativos à utilização de meios aéreos.

Esta é a segunda situação mais grave de incêndios com mortos este ano, depois de Pedrógão Grande, no verão, um fogo que alastrou a outros municípios e que provocou 64 mortos e mais de 200 feridos.

AdChoices
AdChoices

Mais de O Jogo

image beaconimage beaconimage beacon