Está a utilizar uma versão de browser mais antiga. Utilize uma versão suportada para obter a melhor experiência possível com o MSN.

Incêndios: Seis famílias desalojadas e duas empresas afetadas na Marinha Grande - autarca

Logótipo de O Jogo O Jogo 18/10/2017 Administrator

O presidente da Câmara da Marinha Grande, Paulo Vicente, informou hoje que ficaram desalojadas seis famílias e duas empresas foram afetadas pelo incêndio, na Vieira de Leiria.

Ao todo, ficaram destruídas uma dezena de casas, sendo que há seis famílias desalojadas na freguesia de Vieira de Leiria, disse aos jornalistas o presidente cessante do município, sem saber precisar o número de pessoas que ficaram sem casa.

De acordo com o autarca, não foi preciso a Câmara da Marinha Grande assegurar uma resposta temporária às famílias afetadas, que ficaram em casas de familiares.

Também em Vieira de Leiria, uma empresa de cartonagem ficou completamente destruída e há dois pavilhões de um armazém que também arderam, referiu.

"Felizmente, não temos situações de vítimas porque também os nossos munícipes e os nossos cidadãos obedeceram às orientações e diretivas que lhe foram sendo dadas pelos bombeiros e pelas autoridades", realçou Paulo Vicente.

De acordo com o autarca, ainda há problemas com o abastecimento de água em alguns lugares do concelho.

Paulo Vicente, que juntamente com outros autarcas do distrito de Leiria reuniu-se hoje com o ministro da Agricultura, Florestas e Desenvolvimento Rural, realçou que pediu ao Governo, "com urgência", que faça uma avaliação das árvores de grande porte à beira das vias principais, para que não ocorram vítimas "com o derrube dessas mesmas árvores para as estradas".

As centenas de incêndios que deflagraram no domingo, o pior dia de fogos do ano segundo as autoridades, provocaram pelo menos 41 mortos e cerca de 70 feridos (mais de uma dezena dos quais graves), além de terem obrigado a evacuar localidades, a realojar as populações e a cortar o trânsito em dezenas de estradas.

O Governo decretou três dias de luto nacional, entre terça-feira e quinta-feira.

Esta é a segunda situação mais grave de incêndios com mortos este ano, depois de Pedrógão Grande, em junho, em que um fogo alastrou a outros municípios e provocou 64 vítimas mortais e mais de 200 feridos.

AdChoices
AdChoices

Mais de O Jogo

image beaconimage beaconimage beacon