Está a utilizar uma versão de browser mais antiga. Utilize uma versão suportada para obter a melhor experiência possível com o MSN.

Incêndios: Tribunal de Porto de Mós decreta prisão preventiva para suspeito de atear fogo

Logótipo de O Jogo O Jogo 25/10/2017 Administrator

O juiz de instrução do Tribunal de Porto de Mós decretou 15 dias de prisão preventiva e três meses de prisão domiciliária para um jovem que foi detido pela GNR em flagrante delito a atear um fogo.

A GNR anunciou hoje a detenção do jovem em flagrante delito por suspeita do crime de incêndio florestal no Juncal, concelho de Porto de Mós, no distrito de Leiria.

Segundo disse à Lusa o Comandante do Destacamento Territorial de Leiria, capitão André Gonçalves, após ter sido presente ao Tribunal Judicial de Porto de Mós, foi decretada a medida de coação de 15 dias de prisão preventiva e três meses de prisão domiciliária.

O jovem de 19 anos foi detido, na terça-feira, "em flagrante delito", quando estava a provocar uma ignição.

"O suspeito foi detetado pela população, que avisou a GNR. A patrulha estava próxima e identificou e deteve o jovem", explicou à Lusa o capitão André Gonçalves, acrescentando que o incêndio deflagrou numa "zona de mato, dentro da localidade".

O comandante acrescentou à Lusa que o suspeito é estudante, residente em Porto de Mós e não tem antecedentes criminais.

AdChoices
AdChoices

Mais de O Jogo

image beaconimage beaconimage beacon