Está a utilizar uma versão de browser mais antiga. Utilize uma versão suportada para obter a melhor experiência possível com o MSN.

Incêndios: Vila Velha de Ródão avança com plano para evitar situações dramáticas

Logótipo de O Jogo O Jogo 01/08/2017 Administrator

A Câmara de Vila Velha de Ródão vai constituir um grupo de trabalho para estabelecer um plano pós-incêndios, de modo a evitar situações dramáticas no concelho como as vividas recentemente, disse hoje o presidente do município.

"Já estivemos em contacto com outras entidades, nomeadamente com empresas e entidades ligadas ao ambiente, para constituir um grupo de trabalho que envolva desde o ambiente à economia, proprietários, câmara e entidades oficiais, no sentido de estabelecer um plano pós-incêndios", disse à agência Lusa o presidente deste município do distrito de Castelo Branco, Luís Pereira.

O autarca explicou que neste momento estão já a trabalhar nesse plano, cuja base deverá ser apresentada no dia 11, em reunião do executivo.

O objetivo é evitar que daqui a 10 ou 15 anos se repitam situações com os contornos dramáticos do incêndio que recentemente fustigou o concelho de Vila Velha de Ródão.

"É altura de atuarmos todos e de quebrarmos este ciclo de incêndios com estas proporções que, ciclo após ciclo, tem contornos cada vez mais dramáticos", disse.

Luís Pereira adiantou ainda que todos têm a responsabilidade de infletir este tipo de situações: "A câmara municipal vai assumir as suas responsabilidades e espera que todas as outras entidades, desde os proprietários até às entidades ligadas à economia e ambiente, estejam aqui connosco a trabalhar de uma forma séria".

Já em relação aos prejuízos do incêndio que atingiu Vila Velha de Ródão na passada semana, adiantou que a prioridade da autarquia foi a de focar a assistência nas pessoas e nas habitações.

O trabalho está a ser feito pelo município, através do gabinete de ação social em articulação com instituições de solidariedade social (IPSS) do concelho, nomeadamente Santa Casa da Misericórdia e Sociedade Filarmónica de Fratel, Segurança Social de Castelo Branco e os Contratos Locais de Desenvolvimento Social (CLDS).

"Já foram visitadas todas as localidades afetadas pelo incêndio e feita uma primeira inventariação dos prejuízos", frisou.

Na localidade de Sarnadinha, por exemplo, uma senhora de fracos recursos, cuja casa ficou sem condições de habitabilidade e que teve de ir para a casa de um familiar em Castelo Branco, está a ser ajudada pelo município, que já contactou empresas de construção no sentido de avançar com a recuperação da habitação.

Luís Pereira sublinha que este tem sido um ano excecional em matéria de incêndios que têm fustigado todos os concelhos e que têm tido um impacto muito forte nas comunidades locais, pelo que espera que as medidas anunciadas pelo Governo sejam estendidas a todos aqueles que foram afetados pelos fogos.

"Espero que as medidas anunciadas pelo Governo sejam extensíveis a todos os concelhos que tiveram impacto com os incêndios e nós temos aqui uma área substancial ardida. Se não o forem, a câmara municipal assumirá uma ajuda direta, caso as pessoas não tenham recursos para recuperar as suas habitações ou as suas atividades económicas", concluiu.

AdChoices
AdChoices

Mais de O Jogo

image beaconimage beaconimage beacon