Ao utilizar este serviço e o conteúdo relacionado, concorda com a utilização de cookies para análise, anúncios e conteúdos personalizados.
Está a utilizar uma versão de browser mais antiga. Utilize uma versão suportada para obter a melhor experiência possível com o MSN.

Inquérito/CGD: Nobreza da AR e respeito pelos eleitores merecem que tema "não fique por aqui" - PSD

Logótipo de O Jogo O Jogo 18/07/2017 Administrator

O PSD criticou hoje o "pseudo-relatório" final da comissão de inquérito aos créditos da Caixa Geral de Depósitos (CGD) e declarou que a "nobreza" do parlamento e o "respeito pelos eleitores" merecem que o tema "não fique por aqui".

"A nobreza da instituição parlamentar e o respeito pelos eleitores não merecem que este assunto fique por aqui", declarou o líder parlamentar do PSD, Luís Montenegro, em conferência de imprensa no parlamento.

O deputado havia sido questionado sobre um eventual pedido do PSD de uma nova comissão de inquérito sobre o banco público, com Montenegro a dizer que no futuro, e não numa altura em que se debate o "pseudo-relatório" dos atuais trabalhos, o PSD ponderará tal cenário.

"Vamos votar contra este relatório. É um relatório que não tem valor absolutamente nenhum", sublinhou ainda, já depois de ter dito que o partido não iria apresentar qualquer proposta de alteração ao texto do relator Carlos Pereira (deputado do PS).

Luís Montenegro esteve acompanhado na conferência de imprensa desta manhã por vários parlamentares do PSD ligados à comissão de inquérito, entre os quais o coordenador Hugo Soares.

O relatório final da comissão de inquérito, a cargo do socialista Carlos Pereira, foi apresentado no começo do mês e será hoje votado em sede de comissão após terem sido apresentadas propostas de alteração de vários partidos que não o PSD.

O texto inicial do relator afasta a existência de "pressões" da tutela, o acionista Estado, na concessão de crédito, mas admite "erros de avaliação" sobre "determinados créditos", culpando em grande parte a crise do 'subprime' pelos problemas da CGD.

A recapitalização de 2012, é também avançado no relatório, foi "feita pelos mínimos" e devia ter sido "mais robusta e mais reforçada".

Na semana passada, a comissão de inquérito aos créditos e gestão da Caixa Geral de Depósitos rejeitou um requerimento do PSD para suspender os trabalhos até serem conhecidas decisões judiciais que se aguardam, com o CDS a acompanhar os sociais-democratas.

A comissão de inquérito debruçou-se sobre a gestão do banco público desde o ano 2000, culminando no processo de recapitalização de cerca de 5.000 milhões de euros aprovado entre o Governo português e a Comissão Europeia, depois de a CGD ter apresentado um prejuízo histórico de 1.859 milhões de euros em 2016.

Ao mesmo tempo, decorre no parlamento uma segunda comissão de inquérito sobre o banco público, esta focada na gestão de António Domingues e na atuação do Governo na nomeação e saída do gestor.

AdChoices
AdChoices

Mais de O Jogo

image beaconimage beaconimage beacon