Está a utilizar uma versão de browser mais antiga. Utilize uma versão suportada para obter a melhor experiência possível com o MSN.

Instituto da Juventude quer privilegiar projetos de ambiente e áreas criativas

Logótipo de O Jogo O Jogo 20/10/2017 Administrator

O programa "Empreende Já", destinado a jovens sem ocupação, vai privilegiar projetos na área da economia social, direcionados para o ambiente, o mar e as indústrias criativas, disse hoje à agência Lusa fonte do Instituto da Juventude.

As candidaturas para 2.ª edição deste programa, criado para jovens que não estão a trabalhar nem a estudar, decorrem até 30 de novembro e os formulários, bem como toda a informação, encontram-se disponíveis no Portal da Juventude.

Da 1.ª fase, sairão 90 projetos a apoiar, que serão conhecidos no final do ano, revelou Manuel Pereira, da direção do Instituto Português do Desporto e Juventude (IPDJ), promotor da iniciativa. Atualmente, estão a ser acompanhados 261 projetos.

Desta fase resultaram dois grandes grupos de projetos, a maior parte (85%) no setor económico e empresarial para constituição de empresas, mas também no setor social, com propostas na área da arquitetura, mobiliário urbano para a prática desportiva, iniciativas para apoio social e criação de clubes desportivos para atividades náuticas, segundo a mesma fonte.

Podem candidatar-se jovens entre os 18 e os 29 anos que não estejam a estudar, nem a trabalhar.

De acordo com o IPDJ, há cerca de 100.000 jovens nesta faixa etária que não estão a estudar, nem em formação. O objetivo é apoiar estes jovens a pôr em prática as suas ideias e projetos.

Manuel Pereira aconselha os jovens a apresentarem as candidaturas o mais cedo possível.

Os projetos que passarem na avaliação terão uma bolsa de apoio financeiro, equivalente a 700 euros por mês, assim como acompanhamento para desenvolver a viabilidade do negócio.

Após esta fase, "os empreendedores estão ainda habilitados a uma bolsa de 10.000 euros para ajudar na fase inicial do projeto", de acordo com a informação divulgada pelo IPDJ. O regulamento obriga a manter a atividade durante dois anos.

Pretende-se impulsionar a criação e desenvolvimento de empresas e entidades da economia social, assim como a criação de postos de trabalho.

Cada edição do programa tem duas fases: formação e tutoria, esta última para aprimorar o projeto e elaborar o plano de negócio.

Na primeira edição, verificaram-se 3.100 registos (interessados), dos quais 700 resultaram em candidaturas. Acabaram por ser selecionadas 315. O objetivo agora é fazer aumentar estes números.

Nesta edição, o IPDJ pretende selecionar 370 jovens e atribuir bolsas mensais de 700 euros, durante seis meses.

O programa integra-se no Plano Nacional de Implementação de Garantia para a Juventude e é comparticipado em 4,6 milhões de euros pela União Europeia, através do PO ISE -- Programa Operacional Inclusão Social e Emprego.

AdChoices
AdChoices

Mais de O Jogo

image beaconimage beaconimage beacon