Está a utilizar uma versão de browser mais antiga. Utilize uma versão suportada para obter a melhor experiência possível com o MSN.

Investimento chinês além-fronteiras cai devido ao aumento das restrições -- Governo

Logótipo de O Jogo O Jogo 14/09/2017 Administrator

O Ministério do Comércio da China disse hoje que o investimento chinês além-fronteiras caiu devido ao aumento nas restrições, que visa desencorajar a compra de clubes de futebol e outros ativos considerados desnecessários ao desenvolvimento do país.

Segundo dados hoje anunciados, o investimento chinês no estrangeirou recuou 41,8%, nos primeiros oito meses do ano, face ao mesmo período do ano passado.

Entre janeiro e agosto, as empresas chinesas investiram 68,7 mil milhões de dólares (57,7 mil milhões de euros) no exterior.

Encorajadas pelo Governo, as empresas chinesas aumentaram nos últimos anos os investimentos além-fronteiras, como forma de assegurarem fontes confiáveis de retornos e adquirirem tecnologia avançada.

Os reguladores chineses emitiram este ano, no entanto, um raro comunicado conjunto, no qual advertem para investimentos "irracionais" além-fronteiras, nos setores imobiliário, entretenimento e desporto, nos quais abundam "riscos e perigos ocultos".

As autoridades afirmaram que querem que as empresas se foquem em ativos necessários à economia chinesa.

O Ministério chinês do Comércio anunciou hoje que os investimentos feitos este ano foram sobretudo no setor manufatureiro, vendas por atacado, retalho e tecnologias de informação.

Algumas das empresas chinesas cujas aquisições no exterior praticamente pararam nos últimos meses detêm participações em importantes empresas portuguesas, como a Fosun e o HNA Group.

A Fosun é a maior acionista do banco Millennium BCP com 25,1% do capital, também detém 85% da seguradora Fidelidade (os restantes 15% do capital são da CGD) - que por sua vez é 'dona' do Grupo Luz Saúde - e ainda conta com uma participação de 5,3% na Redes Energéticas Nacionais (REN).

A HNA é acionista da TAP através do consórcio Atlantic Gateway e da companhia brasileira Azul.

Segundo dados oficiais portugueses, desde que a China Three Gorges comprou 21,3% da EDP, em 2012, o montante do investimento chinês em Portugal já ultrapassou os 10.000 milhões de euros.

AdChoices
AdChoices

Mais de O Jogo

image beaconimage beaconimage beacon