Ao utilizar este serviço e o conteúdo relacionado, concorda com a utilização de cookies para análise, anúncios e conteúdos personalizados.
Está a utilizar uma versão de browser mais antiga. Utilize uma versão suportada para obter a melhor experiência possível com o MSN.

Irão a um ponto do Mundial, mas Queiroz adverte para excesso de confiança

Logótipo de O Jogo O Jogo 11/06/2017 Hugo M. Monteiro

O Irão está a um ponto de assegurar a qualificação para o Mundial'2018

© ABEDIN TAHERKENAREH

O Irão de Carlos Queiroz está a um ponto de confirmar a inédita qualificação consecutiva para o Mundial, mas o treinador português alerta para o perigo do excesso de confiança, na segunda-feira, frente ao Uzbequistão.

"Creio que há uma perceção errada à nossa volta, como se tivéssemos assegurado jogar o Mundial de 2018. O que tenho defendido é que estamos já a jogar o nosso Mundial. Agora, o jogo com o Uzbequistão deve ser encarado como se fosse a nossa final do Mundial", advertiu o técnico.

Caso pontue, o Irão vai juntar-se ao Brasil - e à anfitriã Rússia - no lote de equipas com lugar garantido no próximo Mundial, que seria o quinto na história dos persas e o terceiro nas últimas quatro edições.

"Vamos jogar este jogo com a responsabilidade de quem joga uma final, de quem joga um 'match-point', porque a equipa que temos pela frente é forte e merece todo o nosso respeito. Isto não é novo para nós. Desde o início da qualificação que sabemos qual é a importância deste jogo. Os jogos valem sempre três pontos e este não é diferente", reforçou Queiroz.

Mais de 100.000 pessoas são esperadas no mítico Azadi Stadium de Teerão, que contará com medidas de segurança reforçadas, cinco dias após o duplo atentado do autodenominado Estado Islâmico, que fez 17 vítimas mortais no parlamento e junto ao memorial do íman Khomeini.

Depois de 1978, 1998, 2006 e 2014, Queiroz quer fazer novamente história: ainda sem qualquer golo sofrido em sete jogos, o Irão tem ainda a segurança de mais dois jogos, em 31 de agosto na Coreia do Sul e em 05 de setembro em casa com a Síria.

"Temos ainda três jogos deste nível, que são os três jogos para jogar ainda na nossa qualificação, e temos que encará-los desta forma: como um jogo em que temos de estar à altura dos nossos 'standards', e fazer tudo o que está ao nosso alcance", concluiu.

O Irão lidera com 17 pontos em sete jogos -- cinco vitórias e dois empates -, seguido da Coreia do Sul com 13 e do Uzbequistão com 12, enquanto a Síria tem oito, a China cinco e o Qatar, que vai receber o Mundial'2022, somente quatro.

AdChoices
AdChoices

Mais de O Jogo

image beaconimage beaconimage beacon