Está a utilizar uma versão de browser mais antiga. Utilize uma versão suportada para obter a melhor experiência possível com o MSN.

Irão e Turquia unidos contra aspirações independentistas do Curdistão iraquiano

Logótipo de O Jogo O Jogo 05/10/2017 Administrator

O Irão e a Turquia mostraram uma frente comum na quarta-feira contra as aspirações independentistas do Curdistão iraquiano, por ocasião de uma visita do Presidente turco à capital iraniana.

A deslocação de Recep Tayyip Erdogan consagrou a reaproximação entre dois vizinhos que têm tido relações complicadas.

"Alguns dirigentes da região do Curdistão no Iraque tomaram decisões erradas, que têm de ser compensadas", afirmou o presidente iraniano, Hassan Rohani, depois de se ter reunido com Erdogan, que faz a sua primeira visita ao Irão desde 2015.

"O Irão, a Turquia e o Iraque são obrigados a tomarem medidas sérias", acrescentou, referindo-se às represálias prometidas pelos três Estados, depois do referendo independentista realizado em 25 de setembro no Curdistão iraquiano.

Ancara e Teerão, que contam fortes minorias curdas nos respetivos territórios, pelo que receiam eventuais feitos de contágio, condenaram fortemente o escrutínio realizado pelas autoridades desta região autónoma.

Com os dirigentes de Bagdade, turcos e iranianos já impõem um bloqueio aéreo ao Curdistão iraquiano e o Irão congelou o comércio petrolífero com esta região.

Segundo a tradução em persa das suas afirmações, difundida pela televisão estatal iraniana, Recep Tayyip Erdogan ameaçou com medidas de retorsão ainda "mais severas" e afirmou esta região curda do norte do Iraque não iria "a lado algum" e que continuaria "isolada".

Para o guia supremo iraniano, o aiatola Ali Khamenei, que também recebeu Erdogan, "o referendo no Curdistão iraquiano foi uma traição". É muito importante que o Irão e a Turquia "tomem em conjunto medidas sérias, políticas e económicas" face a esta situação, acrescentou, em comunicado publicado depois da reunião.

O referendo deu uma vitória esmagadora ao "sim", mas as autoridades curdas deram a entender que não tinham a intenção de proclamar a independência em breve.

AdChoices
AdChoices

Mais de O Jogo

image beaconimage beaconimage beacon