Está a utilizar uma versão de browser mais antiga. Utilize uma versão suportada para obter a melhor experiência possível com o MSN.

Iraque vê presença de combatentes curdos em Kirkuk como "declaração de guerra"

Logótipo de O Jogo O Jogo 15/10/2017 Administrator

O Governo do Iraque considerou hoje uma "declaração de guerra" a presença de combatentes curdos, nomeadamente do ilegalizado partido curdo da Turquia PKK, na província disputada de Kirkuk (norte).

O Conselho de Segurança Nacional, a mais alta instância de Defesa do Iraque, presidido pelo primeiro-ministro, Haidar Al-Abadi, afirmou em comunicado considerar uma "escalada perigosa" e uma "declaração de guerra" a presença em Kirkuk "de combatentes que não pertencem às forças de segurança regulares".

O texto cita, nomeadamente, a presença de combatentes do Partido dos Trabalhadores do Curdistão (PKK) turco, considerado uma organização terrorista pela Turquia, a União Europeia e a NATO.

A relação entre Bagdad e Erbil degradou-se depois de o Governo autónomo do Curdistão iraquiano ter realizado um referendo sobre a independência da região, não vinculativo e considerado ilegal pelo governo central.

Kirkuk foi incluída no referendo, apesar de não pertencer ao Curdistão.

A cidade, etnicamente diversa, é administrada pelos curdos desde 2014, quando o exército iraquiano fugiu ao avanço dos 'jihadistas' do grupo Estado Islâmico. O Iraque exige agora recuperar o controlo da cidade e da província de Kirkuk, rica em petróleo.

AdChoices
AdChoices

Mais de O Jogo

image beaconimage beaconimage beacon