Está a utilizar uma versão de browser mais antiga. Utilize uma versão suportada para obter a melhor experiência possível com o MSN.

Isabela Figueiredo vence Prémio Literário Urbano Tavares Rodrigues com "A Gorda"

Logótipo de O Jogo O Jogo 04/10/2017 Administrator

A escritora Isabela Figueiredo venceu o Prémio Literário Urbano Tavares Rodrigues 2017, no valor de 7.500 euros, com o romance "A Gorda", editado pela Caminho, anunciou hoje a Fenprof, que instituiu o galardão.

O prémio foi atribuído por unanimidade do júri - constituído pelos escritores e professores Paulo Sucena, José Manuel Mendes e Teresa Martins Marques -- que considerou "A Gorda" um romance "marcado pela congruência e agilidade na construção da diegese" e "por uma estratégia de efabulação que recusa tanto o desenvolvimento linear da narrativa, como o predomínio de qualquer pendor e ornatos".

O júri destacou ainda a "densidade das personagens principais" deste romance, editado em 2016, bem como a "escrita sóbria, eficaz no domar das relações entre a memória, não raro auto(biográfica), e o contexto, a ironia e a dissecação, a premência do tempo num presente contraditório".

Atribuído no âmbito das celebrações do Dia Mundial do Professor, o prémio foi instituído pela Federação Nacional dos Professores (Fenprof) em parceria com uma seguradora e pretende valorizar o trabalho dos professores, para além do que é a sua atividade na escola.

Sobre a vencedora deste ano, Isabela Figueiredo, a Fenprof registou "com muito agrado" o facto de, após as vitórias de docentes do ensino secundário e superior, o júri ter decidido este ano atribuir a vitória "a uma pessoa que é docente no ensino básico, revelando a capacidade de produção literária de qualidade de docentes dos diversos setores e graus de ensino".

O Prémio Literário da Fenprof é anual, sendo que nos anos pares distingue poesia e toma a designação de Prémio Literário de Poesia António Gedeão e nos ímpares de Prémio Literário de Romance Urbano Tavares Rodrigues.

Com este seu "belíssimo romance", Isabela Figueiredo vem juntar-se a nomes da literatura portuguesa contemporânea na área da ficção, tendo distinguido na primeira edição, em 2013, Ana Cristina Silva, com "O Rei do Monte Brasil", e em 2015 Lídia Jorge, com "Os Memoráveis".

Os vencedores das anteriores edições do Prémio António Gedeão, para poesia, foram Ana Luísa Amaral (em 2012), com "Vozes", Manuel Gusmão (em 2014), com "Pequeno Tratado das Figuras", e Nuno Júdice (em 2016), com "A convergência dos ventos".

Natural Moçambique, Isabela Figueiredo estudou Línguas e Literaturas Lusófonas, Sociologia das Religiões e Questões de Género e é professora de Português.

É autora de "Conto É Como Quem Diz", novela que recebeu o primeiro prémio da Mostra Portuguesa de Artes e Ideias, em 1988, e de "Caderno de Memórias Coloniais", sobre o colonialismo português em Moçambique, cuja primeira edição data de 2009.

AdChoices
AdChoices

Mais de O Jogo

image beaconimage beaconimage beacon