Ao utilizar este serviço e o conteúdo relacionado, concorda com a utilização de cookies para análise, anúncios e conteúdos personalizados.
Está a utilizar uma versão de browser mais antiga. Utilize uma versão suportada para obter a melhor experiência possível com o MSN.

Ishizaki no caminho do Braga: lenda do Football Manager já pôs Ibra na sombra

Logótipo de O Jogo O Jogo 27/07/2017 Hugo Monteiro

Filho de pai japonês e mãe sueca, o médio foi o mais jovem jogador de sempre a ganhar a Taça da Suécia. A carreira era tão promissora que chegou a ser melhor do que Ibrahimovic no mundo... virtual.

© Erik Simander/EPA

O nome Stefan Ishizaki, extremo de 35 anos, transformado em médio nas últimas épocas, dirá pouco à maior parte dos adeptos portugueses, pelo menos por aquilo que fez nos relvados... naturais. Sim, porque nos virtuais a história é outra. No mais famoso simulador de futebol do Mundo, o Football Manager, Stefan Ishizaki já foi um dos principais craques, ao ponto de ser um dos míticos jogadores do jogo de computador. Na época de 2001/02, o extremo do AIK - já na altura representava a equipa de Estocolmo - era bem melhor do que o compatriota Ibrahimovic (tinham os dois 19 anos), que ainda marinava na equipa das reservas do Ajax.

Esta enorme valorização virtual encontra, no entanto, uma explicação na realidade. É que Ishizaki era, de facto, uma das grandes promessas do futebol sueco. Filho de pai japonês e mãe sueca, o extremo tornou-se no jogador mais novo de sempre a conquistar a Taça da Suécia, em 1999, ao serviço do AIK, ao vencer com apenas 16 anos e 364 dias. A ascensão foi rápida, tão rápida como a queda que se seguiu, devido, em boa parte, às lesões que lhe travaram uma carreira bem mais promissora - mesmo assim, ainda foi internacional sueco, com 13 jogos pela seleção principal.

Depois da primeira passagem pelo AIK, Stefan Ishizaki ainda experimentou o futebol italiano (Génova), norueguês (Valerenga) e norte-americano (LA Galaxy), antes do regresso, em 2015, ao clube de Estocolmo, onde voltou a cimentar o estatuto de titular. Pelo meio, Ishizaki ainda esteve oito épocas no Elsfborg, tendo sido um dos principais responsáveis pela eliminação do Braga da Liga Europa, em 2009, depois de ter sido titular nos dois jogos da terceira pré-eliminatória (1-2 em Braga e 0-2 na Suécia).

AdChoices
AdChoices

Mais de O Jogo

image beaconimage beaconimage beacon