Está a utilizar uma versão de browser mais antiga. Utilize uma versão suportada para obter a melhor experiência possível com o MSN.

Joan Manuel Serrat recebe a Alta Distinção da Generalitat de Valência

Logótipo de O Jogo O Jogo 07/10/2017 Administrator

O cantor e compositor Joan Manuel Serrat recebe na segunda-feira a Alta Distinção da Generalitat (Governo Autónomo) de Valência, juntamente com Hortensia Herrero, presidente da fundação com o seu nome, e a filósofa Adela Cortina.

Os prémios são entregues pelo presidente da Generalitat Valenciana, Ximo Puig, no palácio governamnetal, em Valência, na segunda-feira, Dia da Comunidade Valenciana, noticiou a Efe.

De acordo com a Generalitat, o catalão Joan Serrat, que completa 70 anos em dezembro próximo, tem uma ampla discografia, ajudou a resgatar vários poetas do esquecimento como Miguel Hernández, que homenageou no seu nono álbum, em 2010, que coincidiu com o centenário do nascimento do poeta natural Orihuela, na província valenciana de Alicante.

Entre outras distinções, o autor de "Aquellas Pequeñas Cosas" recebeu o grau de comendador da Ordem de Maio, da Argentina, pelo seu empenho na democracia e na luta pelos Direitos Humanos, a Medalha de Ouro de Mérito do Trabalho, por Espanha, e a Medalha de Honra do Parlamento da Catalunha, em 2006, e foi feito doutor Honoris Causa pela Universidade Complutuense de Madrid, e pela Universidade Miguel Hernández.

Hortensia Herrero, esposa do empresário Juan Roig, preside à Fundação com o seu nome, e que se dedica à reabilitação de bens do património artístico e cultural da cidade de Valência, como a igreja de San Nicolás ou o Colégio de Arte Maior da Seda.

Recentemente, a Fundação adquiriu o Palácio de Valeriola, na histórica Calle del Mar, em Valência, um edifício que se tornará num centro cultural, que exibirá a coleção de arte de Hortensia Herrero, e acolherá exposições temporárias, conferências, e atividades da Fundação.

Adela Cortina é professora de Ética e Filosofia Política na Universidade de Valência e membro da Real Academia de Ciências Morais e Políticas, na qual foi a primeira mulher a ter sido admitida, desde a sua fundação em 1857.

Adela Cortina é doutora Honoris Causa de oito universidades espanholas e estrangeiras e recebeu vários prémios, entre eles, o Prémio Nacional de Ensaio de 2014 pelo seu livro "¿Para qué sirve realmente la ética?", no qual procura delinear os contornos de uma ética cívica e filosófica.

AdChoices
AdChoices

Mais de O Jogo

image beaconimage beaconimage beacon