Ao utilizar este serviço e o conteúdo relacionado, concorda com a utilização de cookies para análise, anúncios e conteúdos personalizados.
Está a utilizar uma versão de browser mais antiga. Utilize uma versão suportada para obter a melhor experiência possível com o MSN.

Jockey Club de Macau fecha 2016 com prejuízos de 439 ME

Logótipo de O Jogo O Jogo 19/07/2017 Administrator

A Companhia de Corridas de Cavalos que opera o Macau Jockey Club fechou 2016 com prejuízos acumulados de 4.073 milhões de patacas (439 milhões de euros), segundo informação publicada hoje em Boletim Oficial.

A concessão da empresa termina a 31 agosto próximo, mas a companhia diz estar "em processo de aplicação da renovação do contrato de concessão de corridas pelo Governo".

De acordo com as contas auditadas e aprovadas pela assembleia geral de acionistas, na sua reunião de 29 de março de 2017, a Companhia de Corridas de Cavalos registou também um passivo de 1.314 milhões de patacas (141 milhões de euros).

Em 2015, o Governo renovou por dois anos o contrato de concessão da empresa que opera o Jockey Club.

Apesar de anos consecutivos com as contas "no vermelho", com perdas desde 2005, a empresa manifestou sempre o interesse de continuar.

O Macau Jockey Club, ligado ao magnata do jogo Stanley Ho, tem como vice-presidente do Conselho de Administração e administradora executiva Angela Leong On Kei, a quarta mulher e deputada à Assembleia Legislativa.

A renovação da concessão do Macau Jockey Club foi já contestada pela sociedade protetora dos animais ANIMA, que questiona a gestão da empresa e as condições em que vivem os cavalos, nomeadamente os já retirados das provas.

AdChoices
AdChoices

Mais de O Jogo

image beaconimage beaconimage beacon