Ao utilizar este serviço e o conteúdo relacionado, concorda com a utilização de cookies para análise, anúncios e conteúdos personalizados.
Está a utilizar uma versão de browser mais antiga. Utilize uma versão suportada para obter a melhor experiência possível com o MSN.

Jogadores e selecionador da Guiné-Bissau confiam em bom desempenho na CAN2017

Logótipo de LusaLusa 29/12/2016 Mussá Baldé
ANTÓNIO COTRIM/LUSA FILES © LUSA / ANTÓNIO COTRIM ANTÓNIO COTRIM/LUSA FILES

Bissau, 29 dez (Lusa) - O selecionador de futebol da Guiné-Bissau, Baciro Candé, e os jogadores manifestaram-se hoje prontos e confiantes em realizar um bom desempenho no Campeonato das Nações Africanas (CAN2017), a ter lugar no Gabão entre janeiro e fevereiro.

Os 26 jogadores pré-convocados por Baciro Candé, de onde sairão 23 que vão ao CAN2017, iniciam hoje um estágio de preparação de sete dias em Bissau, depois de, na quarta-feira, terem chegado ao país vindos de Portugal, de onde foi chamado o ‘grosso’ da seleção.

Sem apontar uma meta em concreto, Baciro Candé disse acreditar que a Guiné-Bissau "fará uma boa figura no CAN", embora saliente ser pela primeira vez que os ‘djurtus’ vão estar presentes na competição.

"Deixem-nos sonhar. A Guiné-Bissau tem que ser um sonho alto", declarou o selecionador guineense, salientando que o país "poderá chegar o mais longe possível", se tudo correr como está a programar com a sua equipa técnica.

O facto de a Guiné-Bissau ser um estreante na fase final da CAN não mete medo ao avançado Leocísio Sami, um dos mais antigos jogadores da seleção, que já representa há sete anos. Sami, que joga nos turcos de Akhisar, acredita mesmo que a Guiné-Bissau pode ganhar a CAN.

"Acho que somos candidatos. Depois daquilo que fizemos na qualificação, as equipas passaram a olhar para a Guiné-Bissau de uma forma diferente, com certeza", enfatizou Sami, avançado que passou pelo Benfica, Marítimo, FC Porto e Guimarães, entre outros clubes portugueses.

Sami pede apenas que haja "melhor organização" para que os jogadores, que disse serem de "muita qualidade", possam dar resposta no Gabão.

Pela primeira vez a representar a Guiné-Bissau numa competição oficial, o também avançado Abel Camara, do Belenenses, respeita os adversários que os ‘djurtus’ irão defrontar (Gabão, Camarões e Burkina-Faso), mas, ainda assim, acredita no valor da equipa guineense.

Abel Camará sabe que a Guiné-Bissau não é dada como favorita diante dos três adversários, mas também lembra que as contas fazem-se no fim numa competição como esta.

A Guiné-Bissau abre a CAN logo no dia 14 de janeiro, defrontando o anfitrião Gabão, que tem no avançado Pierre Aubameyang, do Borrusia de Dortmund, como a estrela máxima. Abel Camará diz que os guineenses respeitam Aubameyang e o resto da equipa gabonesa, mas não sentem medo.

Abel Camará espera que o ‘mister’ Baciro Candé monte uma estratégia para anular o "favoritismo" que é atribuída antecipadamente ao Gabão e às outras seleções do grupo A.

Catió Baldé, agente de jogadores e diretor executivo da seleção guineense, é que não tem mesmo nenhuma dúvida quanto a qualidade dos ‘djurtus’, daí que promete "surpreender o mundo de futebol" no Gabão.

"Estes jogadores têm muita qualidade, são todos formados na Europa, em Portugal, na Inglaterra. São jogadores que disputaram fases finais de campeonatos de Europa e mundiais das categorias de formação", sublinhou Catío Baldé.

O agente, que representa, entre outros, o avançado Bruma, atualmente nos turcos do Galatasaray, enaltece o facto de a Guiné-Bissau estar na CAN "por mérito próprio e não por nenhum favor", para reforçar a sua confiança num bom resultado na prova.

MB // NF

AdChoices
AdChoices
image beaconimage beaconimage beacon