Ao utilizar este serviço e o conteúdo relacionado, concorda com a utilização de cookies para análise, anúncios e conteúdos personalizados.
Está a utilizar uma versão de browser mais antiga. Utilize uma versão suportada para obter a melhor experiência possível com o MSN.

Jorge Costa recorda episódio com Weah: "Covardia, falsidade..."

Logótipo de O Jogo O Jogo 09/03/2017 Hugo Monteiro
© Fornecido por O jogo

Jorge Costa, antigo capitão do FC Porto, recorda a agressão do então avançado do Milan em 1996.

Em novembro de 1996, ficou célebre o momento em que Jorge Costa surge com o nariz partido depois de um encontro com o Milan, para a fase de grupos da Liga dos Campeões. O antigo central dos dragões não esquece o episódio e deixa, mais uma vez, duras críticas ao ex-avançado liberiano.

"Vamos por partes. Há esse jogo em Milão, há uns anos atrás ganhar ao Milan, um colosso do futebol europeu... Foi algo que fez com o que FC Porto voltasse ao que era em termos europeus. Nas Antas o empate garantia-nos o apuramento, fizemos um jogo perfeito, empatámos o jogo. Weah era extraordinário, dos melhores jogadores do mundo. Tive de aumentar um bocadinho as minhas doses de agressividade. Ele era forte rápido, era um bicho. Assumo: fui mais agressivo durante o jogo com ele, tinha de ser. Não tinha outra forma de a parar", começou por recordar Jorge Costa numa entrevista ao Porto Canal.

"Acaba o jogo, ficamos cinco a dez minutos a festejar. Foi algo que chocou. Covardia, falsidade. Ter feito uma espera por mim de dez minutos... Agrediu-me à covardia. Quando olha para o lado só me lembro da cabeça dele. Se é no campo, perdeu a cabeça. Quem espera cinco a dez minutos é uma ação premeditada. Tinha um processo em tribunal. Foi um momento verdadeiramente mau.

Weah, recorde-se, justificou o ato com uma alegada pisadela no jogo de Itália e com supostas acusações racistas de Jorge Costa.

AdChoices
AdChoices

Mais de O Jogo

image beaconimage beaconimage beacon