Ao utilizar este serviço e o conteúdo relacionado, concorda com a utilização de cookies para análise, anúncios e conteúdos personalizados.
Está a utilizar uma versão de browser mais antiga. Utilize uma versão suportada para obter a melhor experiência possível com o MSN.

Jorge Jesus diz que numa final não existem favoritos

Logótipo de LusaLusa 06/05/2014 António Oliveira

Seixal, 06 mai (Lusa) - O treinador do Benfica afirmou hoje que não existe favorito para a final da Taça da Liga em futebol, frente ao Rio Ave, rejeitando a ideia que a equipa tenha alguma fantasma em relação ao final da época passada.

"Numa final não há favoritos. Qualquer equipa que lá chega é por mérito próprio e qualquer das equipas pensa em vencer. Teoricamente, o Benfica é mais forte, mas no futebol a teoria não ganha e temos que demonstrar no relvado que somos melhores que o Rio Ave", disse Jorge Jesus, em conferência de imprensa, na antevisão ao jogo de quarta-feira, em Leiria.

O técnico garantiu que a equipa vai pensar "final a final" e que vai lançar na partida de quarta-feira os jogadores que estiverem em melhores condições para jogar, explicando que depois vai alertar a equipa para o jogo de sábado com o FC Porto, da 30.ª e última jornada da I Liga.

O técnico rejeitou a ideia que a equipa possa ser afetada por "fantasmas" da época passada, em que perdeu tudo nos últimos jogos, referindo que procurou seguir o mesmo caminho ao longo desta época.

"Tenho mais um ano de contrato com o Benfica e não vamos desviar o foco. Às vezes oiço falar do fantasma do ano passado, mas nós nunca tivemos fantasma nenhum, tivemos foi uma Luz que nos guiou para fazer o que fizemos o ano passado. Fantasma é não ter capacidade para lá chegar", frisou.

Jorge Jesus garantiu também que o resultado do jogo de quarta-feira não vai influenciar o desempenho do Benfica nas duas finais que ainda tem pela frente (Taça de Portugal e Liga Europa).

"As vitórias moralizam mais que as derrotas, mas quando estamos em três frentes para vencer e fazemos um percurso espetacular, não é o que acontecer no jogo que vai ter influência nas outras finais", defendeu.

O técnico dos "encarnados" afirmou ainda que a Taça da Liga é uma competição que não pode ser desvalorizada, lembrando que está um troféu em disputa.

"É uma competição oficial, faz parte da calendarização do futebol português, faz parte dos troféus e não pode ser desvalorizada. Este é um trofeu em disputa há vários anos e é importante", concluiu.

AYL // NF

AdChoices
AdChoices
image beaconimage beaconimage beacon