Ao utilizar este serviço e o conteúdo relacionado, concorda com a utilização de cookies para análise, anúncios e conteúdos personalizados.
Está a utilizar uma versão de browser mais antiga. Utilize uma versão suportada para obter a melhor experiência possível com o MSN.

Jorge Jesus quer “motivação máxima” para se aproximar dos “rivais da frente”

Logótipo de LusaLusa 17/02/2017 António Correia
MIGUEL A. LOPES/LUSA © LUSA / MIGUEL A. LOPES MIGUEL A. LOPES/LUSA

Lisboa, 17 fev (Lusa) - O treinador de futebol do Sporting disse hoje que a motivação dos jogadores leoninos tem que ser "sempre máxima", independentemente da posição da tabela, sublinhando o objetivo de se "aproximar o mais possível" de FC Porto e Benfica.

"A motivação tem que ser sempre máxima. Claro que estamos mais motivados quando corremos atrás de um objetivo, mas isso não pode deixar de ser um motivo para que os jogadores do Sporting não tenham a mesma motivação", começou por dizer, acrescentando: "Não nos tira responsabilidade e temos que nos aproximar o mais possível dos rivais da frente."

Na antevisão ao encontro de sábado da 22.ª jornada frente ao Rio Ave, o treinador dos leões elogiou o conjunto orientado por Luís Castro, lembrando que, normalmente, os vila-condenses costumam criar complicações aos adversários.

"Este jogo vai ser complicado, porque o Rio Ave é uma boa equipa, bem organizada do ponto de vista defensivo e ofensivo. O Rio Ave, nestes últimos anos, tem tido boas equipas. É uma equipa que tem bons jogadores e coletivamente é forte. Ela transmite sempre aos adversários dificuldades", argumentou.

Jorge Jesus não deixou de salientar que o Sporting "tem vindo a melhorar nas últimas jornadas, em função daquilo que tem produzido", reiterando que o "Rio Ave vai complicar o jogo, porque sabe jogar".

Para o técnico dos leões, o principal objetivo passa por tentar solidificar o quarteto defensivo, um "modelo que muitas equipas seguem", lembrando também, que é exatamente o mesmo da época transata.

"O caminho é tentar reequilibrar ao máximo as ideias defensivas, que tenham um modelo e um padrão que muita gente segue. Portanto, é trabalhar em cima e cada vez mais na ideia de melhorar, porque temos capacidade para o fazer. A última linha de quatro [jogadores] é a mesma da no passado, a partir da segunda volta", declarou.

Já sobre a utilização dos reintegrados João Palhinha, Daniel Podence e Francisco Geraldes, o técnico leonino explicou que não é fácil entrar na equipa do Sporting e começar logo a jogar.

"Desses três jogadores, quem tem jogado mais é o Palhinha. São três jogadores que regressaram no mercado, três jogadores da casa. Cada um com características diferentes, cada um com mais possibilidades que outros, em função da sua posição para serem mais solicitados. A adaptação à forma como trabalhamos não é fácil", concluiu.

No sábado, o Sporting recebe o Rio Ave, no Estádio José Alvalade, pelas 20:30, em jogo a contar para a 22.ª jornada da I Liga, que será dirigido pelo árbitro Bruno Esteves, da associação de futebol de Setúbal.

AYCO // VR

AdChoices
AdChoices
image beaconimage beaconimage beacon