Ao utilizar este serviço e o conteúdo relacionado, concorda com a utilização de cookies para análise, anúncios e conteúdos personalizados.
Está a utilizar uma versão de browser mais antiga. Utilize uma versão suportada para obter a melhor experiência possível com o MSN.

Jorge Simão espera que receção ao Benfica seja "momento de viragem"

Logótipo de LusaLusa 18/02/2017 Guilherme Soares
LUÍS FORRA/LUSA © LUSA / LUÍS FORRA LUÍS FORRA/LUSA

Braga, 18 fev (Lusa) - O treinador do Sporting de Braga, Jorge Simão, disse hoje acreditar que a receção ao Benfica, no domingo, pode constituir um momento de viragem após quatro jornadas sem vencer na I Liga de futebol.

O técnico não crê que o Benfica surja mais ansioso e pressionado pela vitória de sexta-feira do FC Porto diante do Tondela (4-0), que colocou os ‘dragões' provisoriamente à frente do campeonato.

"Gostava que isso acontecesse porque teríamos alguma vantagem, mas duvido que aconteça porque estamos a falar de um clube, jogadores e treinadores que estão perfeitamente habituados a passar por situações dessas e isso já aconteceu na última jornada", afirmou.

Jorge Simão acredita que a receção ao Benfica pode ser o momento de viragem depois de quatro jornadas sem ganhar e, mais do que isso, um passo importante na caminhada rumo ao título até 2020.

"Por mais audaz que possa parecer dizer isto neste momento, tenho vindo a tentar criar, construir e solidificar uma equipa que, de acordo com a ambição do presidente e nossa também, consiga chegar ao ponto de ser campeã nacional até ao final da época de 2020. O jogo do Benfica insere-se também nesta medida de uma visão mais a longo prazo, é mais um obstáculo para consolidar esta equipa e lançar as bases sólidas para ter aspirações legítimas de ser campeão nacional", afirmou.

A importância da posse de bola motivou uma história de Jorge Simão.

"Uma vez fui a um bar e houve uma rapariga que me chamou a atenção. Bebemos uns copos, conversámos e rimos muito, foi um fartote até às 04:00. Depois chegou um homem, levou-a para a casa de banho, estiveram a fazer amor e depois foram-se embora, mas nessa noite eu tive muito mais posse bola! Quem contou esta história foi o [Jorge] Sampaoli, então selecionador do Chile, depois de uma derrota por 3-0 em que teve 70% posse de posse de bola", contou.

Para Simão, "há jogos em quem é preciso mais posse de bola e outros que não", mas garantiu que o Sporting de Braga tem "possibilidade de discutir o jogo", independentemente desse fator.

O Benfica pediu uma reunião de emergência ao Conselho de Arbitragem da Federação Portuguesa de Futebol e Jorge Simão, apesar de frisar não ter competência para avaliar as arbitragens, disse "temer" que isso possa provocar algum condicionamento em Tiago Martins, árbitro da partida de domingo.

"Temo sempre, mas não tenho competência para avaliar. Conheço bem o árbitro, tem anos disto, é internacional, tem experiência e espero que saiba gerir os diversos momentos e que não acuse a ansiedade do jogo. Que seja uma arbitragem isenta e tranquila para que os grandes protagonistas sejam os jogadores", desejou.

Para atingir os 65 pontos, o Sporting de Braga tem de melhorar a média pontual, mas o treinador continua a considerar realista atingir essa meta.

"Até ser matematicamente possível, acho. É por essa meta que o clube tem de lutar, mas o compromisso não é meu, é nosso", notou.

Não quis dizer se Alan será titular no domingo, mas deixou um forte elogio ao veterano capitão: "é absolutamente fantástico o que ele faz aos 37 anos, a sua constituição física é um caso de estudo, não tem lesões e não perde um minuto de treino".

Sporting de Braga, quarto classificado com 38 pontos, e Benfica, primeiro com 51, defrontam-se no domingo, às 20:15, no Estádio Municipal de Braga.

GYS // JP

AdChoices
AdChoices
image beaconimage beaconimage beacon