Está a utilizar uma versão de browser mais antiga. Utilize uma versão suportada para obter a melhor experiência possível com o MSN.

Jornal da Correia do Norte denuncia roubo de centenas de documentos militares sul-coreanos

Logótipo de O Jogo O Jogo 10/10/2017 Administrator

"Piratas" informáticos roubaram centenas de documentos militares sul-coreanos classificados, incluindo planos de ação elaborados com Washington na eventualidade de uma guerra, referiu hoje um diário sul-coreano.

O Chosun Ilbo relata, ao citar um deputado do Partido Democrático, no poder, Rhee Cheol-Hee, que "piratas" norte-coreanos conseguiram entrar na intranet das Forças Armadas em setembro de 2016 e apoderaram-se de 235 gigabytes de dados sensíveis.

Entre estes documentos inclui-se o Plano Operacional 5015, o último plano de ação de ação norte-americano-sul-coreano na eventualidade de uma guerra com o Norte, que inclui designadamente planos de ataque para eliminar fisicamente o dirigente norte-coreano, Kin Jong-Un.

O gabinete de Rhee indicou que o deputado foi corretamente citado pelo jornal.

Estas informações foram tornadas públicas num momento de elevada tensão na península, devido às repetidas trocas de ameaças entre o Presidente norte-americano Donald Trump e a Coreia do Norte, que prossegue os seus programas nucleares e balísticos à revelia das sanções internacionais.

Rhee indicou que, segundo o ministro da Defesa, 80% dos documentos desaparecidos ainda não foram identificados, e confirmou que o plano de urgência das forças especiais foi roubado, para além de detalhes sobre os exercícios militares anuais norte-americanos-sul-coreanos, e informações sobre instalações militares estratégicas e centrais elétricas.

Um porta-voz do exército sul-coreano recusou-se a confirmar ou desmentir estas informações, em nome do segredo de Defesa.

Em Washington, um porta-voz do Ministério da Defesa norte-americano, coronel Robert Manning, indicou estar ao corrente destas informações, mas absteve-se de mais comentários.

"Posso assegurar-vos que temos toda a confiança na segurança dos nossos planos operacionais e na nossa capacidade em reagir a qualquer ameaça por parte da Coreia do Norte", indicou em conferência de imprensa.

A Coreia do Norte possui uma unidade de cerca de 6.800 especialistas de ciberataques, segundo o ministério da Defesa sul-coreano, e foi acusada de numerosos ataques informáticos de grande amplitude, designadamente o dirigido contra a Sony Pictures em 2014.

AdChoices
AdChoices

Mais de O Jogo

image beaconimage beaconimage beacon