Ao utilizar este serviço e o conteúdo relacionado, concorda com a utilização de cookies para análise, anúncios e conteúdos personalizados.
Está a utilizar uma versão de browser mais antiga. Utilize uma versão suportada para obter a melhor experiência possível com o MSN.

Jornal 'The Moscow Times' abandona edição em papel e passa a digital

Logótipo de O Jogo O Jogo 06/07/2017 Administrator

O principal título russo em inglês, o 'The Moscow Times', criado pouco depois da queda da União Soviética, publicou hoje a sua última edição em papel, com um emotivo editorial, onde recordou os 25 anos da publicação impressa.

"De 1992 a 2017, de bissemanal a diário e a semanal outra vez, do ptreto e branco à cor, o 'The Moscow Times' fez história, lembra-se no texto, intitulado 'Goodbye' (Adeus).

"Há 25 anos, o 'The Moscow Times' nasceu de forma abrupta, inesperada e caótica, tal como a Rússia independente", adianta o editorial do último número, que reproduz na capa o primeiro exemplar do periódico.

Lembra ainda que a primeira equipa de repórteres e editores do jornal teve que "entrar em águas inexploradas", mas conseguiu que o 'The Moscow Times' se tornasse "a principal fonte de notícias em Inglês na Rússia".

Porém, as turbulências neste meio de comunicação, preferido por um grande número de empresários e trabalhadores estrangeiros que chegaram ao país desde o fim da URSS, começaram no final da década de 1990, com a crise financeira que levou a Federação Russa à suspensão parcial de pagamento da dívida externa.

As dificuldades foram especialmente patentes desde há dois anos, quando o título mudou de dono.

Pouco depois, o 'The Moscow Times', conhecido também por servir de "fonte de inspiração" para diplomatas e jornalistas estrangeiros pela diversidade da sua informação, pela profundidade das notícias e pela análise da vida política do pais, anunciou que passava a semanário.

Este anúncio foi seguido pela demissão do seu diretor, Nabi Abduláyev, o primeiro russo a ocupar o cargo até então reservado a jornalistas anglo-saxões, que alegou "diferenças" com os novos proprietários.

O jornal era de distribuição gratuita e distribuído em hotéis e cafés frequentados por estrangeiros.

"Muitos jornalistas estrangeiros serviam-se dos conteúdos do jornal para encontrar boas histórias e muitos repórteres que se formaram no 'The Moscow Times' vieram a integrar importantes meios mundiais", afirmou hoje Abduláyev, em declarações à agência Efe, lembrando que "quatro jornalistas do 'The Moscow Times' receberam o prémio Pulitzer já quando trabalhavam no 'The Wall Street Journal' e no 'The New York Times'".

Entre as razões avançadas para a alteração agora decidida, Abduláyev mencionou o auge da imprensa digital e a redução do número de expatriados que não falam russo.

"Há muitos mais estrangeiros que falam russo agora, do que há 15 ou 20 anos", avançou.

AdChoices
AdChoices

Mais de O Jogo

image beaconimage beaconimage beacon