Ao utilizar este serviço e o conteúdo relacionado, concorda com a utilização de cookies para análise, anúncios e conteúdos personalizados.
Está a utilizar uma versão de browser mais antiga. Utilize uma versão suportada para obter a melhor experiência possível com o MSN.

José Couceiro: "É preciso ter aquela ponta de sorte"

Logótipo de O Jogo O Jogo 19/03/2017 Hugo Monteiro

José Couceiro, treinador do Vitória de Setúbal, comenta o empate a um golo em casa do FC Porto.

© Pedro Correia/Global Imagens

O Vitória de Setúbal empatou a um golo no Dragão e José Couceiro destacou a atitude da equipa, sem esconder que a sorte também esteve ao lado da formação sadina. "Sabíamos que era muito difícil conseguir obter pontos contra o FC Porto. É preciso também ter aquela ponta de sorte. São estruturas muito desniveladas. Estes jogadores estão de parabéns pela forma como se empenharam e lutaram. Acabámos por ter em alguns momentos a sorte que não temos tido, nomeadamente nestes últimos jogos. Não é só sorte, há mais coisas que se passam", referiu o treinador sadino.

"Queríamos ter mais bola do que aquilo que tivemos. Não que não quiséssemos, mas porque o FC Porto tem uma capacidade muito boa. Fomos obrigados a sofrer mais mais do que aquilo que queríamos. Quando se joga contra equipas desta dimensão, como FC Porto e Benfica, é necessário, além da qualidade e empenho, sermos bafejados pela sorte. Não há nenhum segredo. A nossa atitude é a de disputar o jogo. Contra estas equipas se não marcarmos um golo dificilmente vamos pontuar. Se as coisas saírem mal podemos sofrer derrotas por vezes mais pesadas. O Vitória sempre foi uma equipa que gostou de ter a bola. Não há nenhum segredo, mas sim uma atitude que é muito dos jogadores, foram fantásticos na atitude que tiveram", concluiu José Couceiro.

AdChoices
AdChoices

Mais de O Jogo

image beaconimage beaconimage beacon