Está a utilizar uma versão de browser mais antiga. Utilize uma versão suportada para obter a melhor experiência possível com o MSN.

José Sá na baliza do FC Porto frente ao Paços

Logótipo de O Jogo O Jogo 20/10/2017 Rui Trombinhas

Menor empenho de Iker nos treinos contribuiu para a perda da titularidade e o uso constante do telemóvel quando a equipa estava concentrada também desagradou à equipa técnica

© Fornecido por O jogo

Surpresa na equipa do FC Porto que alinhou de início em Leipzig, José Sá vai manter a titularidade já no encontro de sábado, na receção ao Paços de Ferreira. Um jogo especial para o guarda-redes português, que tem a primeira oportunidade de disputar um jogo de campeonato no Estádio do Dragão, relegando Casillas para o banco.

Habitual titular do FC Porto nos jogos da Taça de Portugal e na Taça da Liga, José Sá já tinha alinhado de início num jogo do campeonato, em Moreira de Cónegos, na última jornada da época passada. Nessa altura, os dragões já estavam arredados da luta pelo título e aquela era uma excelente oportunidade para dar minutos a um guarda-redes em quem a SAD portista confia e a quem prevê um largo futuro.

A confiança em José Sá é tal que os responsáveis do FC Porto recusaram emprestá-lo no último verão, apesar de terem surgido alguns clubes interessados. No entanto, e numa altura em que ainda não estava decidida a continuidade de Casillas no plantel dos dragões, o internacional sub-21 português começou desde logo a ser trabalhado por Sérgio Conceição para agarrar a titularidade. A continuidade do guarda-redes espanhol adiou a estreia do português na Liga dos Campeões e no campeonato, mas em Leipzig, em jogo da Champions, José Sá teve o prémio para o bom trabalho que vem efetuando.

Segundo O JOGO apurou, o trabalho que José Sá tem realizado nos treinos está a agradar sobremaneira à equipa técnica, contrastando com aquilo que acontece com Casillas. O guarda-redes espanhol é acusado de estar há algum tempo a trabalhar com menor empenho nos treinos, situação que não agrada a Sérgio Conceição, que exige ao plantel intensidade máxima.

A juntar ao trabalho de campo, há ainda questões disciplinares, e sabe-se como é apertado o regulamento interno elaborado por Sérgio Conceição. Os telemóveis não estão proibidos no Olival e nos hotéis, como chegou a ser noticiado, mas há momentos e locais para o seu uso.

O treinador gosta que o balneário esteja blindado e não aprecia que situações internas sejam difundidas nas redes sociais. E sabe-se como Casillas tem feito uso do telemóvel, incluindo quando a equipa estava concentrada, ao ponto de já ter sido advertido pelo técnico portista.

AdChoices
AdChoices

Mais de O Jogo

image beaconimage beaconimage beacon