Ao utilizar este serviço e o conteúdo relacionado, concorda com a utilização de cookies para análise, anúncios e conteúdos personalizados.
Está a utilizar uma versão de browser mais antiga. Utilize uma versão suportada para obter a melhor experiência possível com o MSN.

Jovens afegãs autorizadas a participar em competição de robótica nos EUA

Logótipo de O Jogo O Jogo 13/07/2017 Administrator

Uma equipa de seis estudantes afegãs foi hoje autorizada a participar na competição internacional de robótica que vai decorrer este mês nos Estados Unidos, depois de verem os seus pedidos de visto recusados por duas vezes.

"O Presidente dos Estados Unidos e o povo americano finalmente apoiaram-nos, o que mostra que não se esqueceram de nós", disse à partida um membro da equipa, Yasamin Yasinzadah, à agência noticiosa France-Presse.

Inicialmente, as autoridades norte-americanas negaram o acesso de vários estudantes provenientes de países predominantemente muçulmanos à competição, em sintonia com a política adotada pelo governo dos EUA, em matéria de vistos.

"Não somos um grupo terrorista a ir para a América para assustar as pessoas", disse Fatema Ghaderyan, de 14 anos, que pertence à equipa, explicando que apenas querem "mostrar as habilidades das raparigas afegãs aos americanos".

De acordo com a imprensa norte-americana, as críticas públicas que se geraram devido à ausência forçada das jovens estudantes levaram a que o Presidente Donald Trump reconsiderasse a sua posição.

"Estou muito grato ao governo dos Estados Unidos e ao Departamento de Estado por garantirem que o Afeganistão (...) se junte a nós para participar na competição internacional deste ano", declarou o presidente da organização "First Global", Joe Sestak, destacando também a presença de equipas do Iémen, Líbia e Marrocos, no evento.

"As 163 equipas candidatas, de 157 países, obtiveram aprovação nos Estados Unidos, incluindo o Irão, Sudão e uma equipa de refugiados sírios", disse Sestak, acrescentando: "Não poderia estar mais orgulhoso".

Recentemente entrou em vigor uma versão atenuada do decreto anti-imigração de Trump contra seis países, que limita o número de visitantes do Irão, Líbia, Somália, Sudão, Síria e Iémen.

AdChoices
AdChoices

Mais de O Jogo

image beaconimage beaconimage beacon