Está a utilizar uma versão de browser mais antiga. Utilize uma versão suportada para obter a melhor experiência possível com o MSN.

Jovens agricultores dos Açores querem três cêntimos de aumento do preço do leite

Logótipo de O Jogo O Jogo 18/08/2017 Administrator

O líder da Associação de Jovens Agricultores Micaelenses reivindicou hoje um aumento do preço do leite à produção de três cêntimos, além dos valores anunciados pela indústria, visando compensar as "perdas" dos últimos dois anos.

"Pretende-se que aumente mais (três cêntimos) o preço do leite. Era óbvio que este subisse para recuperar o que a produção perdeu nos últimos dois anos, ou seja, uma descida de 10 cêntimos", declarou César Pacheco, em conferência de imprensa realizada na freguesia dos Arrifes, em Ponta Delgada, na ilha de São Miguel.

O grupo BEL anunciou a 04 de agosto um aumento de um cêntimo por litro de leite à produção a partir de 01 de setembro, fixando-se o preço-base em 22 cêntimos, mas a lavoura dos Açores pretendia, pelo menos, três cêntimos.

Neste momento, a Unileite, uma cooperativa de produtores da ilha de São Miguel, foi a única que ainda não anunciou o aumento do preço do leite à produção, tendo a Insulac informado do aumento de um cêntimo e a Pronicol, esta última da ilha Terceira, em dois cêntimos.

O dirigente, cuja associação representa 400 jovens produtores de São Miguel, afirmou que, face à liberalização da produção leiteira, "os mercados não estão mais voláteis", uma vez que os preços "vão atingir novos valores, mas vão voltar a baixar".

"Se não houver um aumento do preço do leite na medida e tempo certos, corre-se o risco de não se chegar a atingir padrões de valor que possam capitalizar a produção, criando-se dificuldades de tesouraria aos produtores de leite", declarou o responsável.

César Pacheco espera que a indústria "mantenha uma posição de subida" do preço do leite, tendo deixado a mensagem que o Governo dos Açores "deve usar a sua influência" para pressionar as unidades fabris a aumentar o valor, a par da adoção de "algumas medidas conjunturais pelas quais se aguarda", para compensar a perda de rendimento.

O dirigente defendeu ainda que o executivo regional deve retomar o pagamento do prémio da vaca leiteira, visando capitalizar os jovens produtores para que estes possam cumprir também com os seus compromissos.

O presidente da Federação Agrícola dos Açores, Jorge Rita, em recentes declarações à agência Lusa, na sequência do anúncio da subida do preço do leite, afirmou que a expectativa que havia era de que o aumento "fosse muito superior", quer da parte da BEL como da Insulac.

"A desculpa das descidas tem sempre a ver com os mercados, por comparação com o preço do leite dos outros países", referiu Jorge Rita, salvaguardando que "esta situação de subida não se realiza da mesma forma para a indústria dos Açores".

AdChoices
AdChoices

Mais de O Jogo

image beaconimage beaconimage beacon