Está a utilizar uma versão de browser mais antiga. Utilize uma versão suportada para obter a melhor experiência possível com o MSN.

Justiça franceça não considera incidente em Marselha ato terrorista

Logótipo de O Jogo O Jogo 21/08/2017 Administrator

O ato deliberado de um homem que hoje invadiu duas paragens de autocarros em Marselha, matando uma pessoa e ferindo outra, não seria um ataque terrorista, de acordo com o procurador de Marselha, Xavier Tarabeux.

O procurador referiu que os investigadores suspeitam que questões psiquiátricas estão na origem dos ataques.

"Não há algum elemento que permita descrever este ato como um ato terrorista", disse o promotor à agência francesa de notícias AFP.

"Nós encontramos no seu correio eletrónico uma conexão com uma clínica psiquiátrica e estamos mais orientados para essa pista", acrescentou.

Uma pessoa morreu e outra ficou gravemente ferida na manhã de hoje em Marselha, no sul da França, depois de terem sido atingidas por um veículo em duas paragens de autocarros.

Depois dos atropelamentos, as forças de segurança francesas iniciaram uma operação policial de envergadura na cidade de Marselha, que acabou com a prisão do condutor do veículo na região do Porto Velho da cidade francesa.

A imprensa francesa divulgou que a pessoa morta é uma mulher.

Uma fonte da polícia assinalou ao jornal La Depeche du Midi que o condutor preso havia, primeiramente, invadido uma paragem de autocarros, causando ferimentos graves a uma pessoa.

Posteriormente, atropelou e matou uma pessoa na paragem de autocarros na avenida Charles Livon, segundo a polícia.

Os meios de comunicação France Info e BFMTV indicaram que o preso é um homem de 35 anos com antecedentes criminais, mas sem vínculos com o terrorismo.

m

AdChoices
AdChoices

Mais de O Jogo

image beaconimage beaconimage beacon