Ao utilizar este serviço e o conteúdo relacionado, concorda com a utilização de cookies para análise, anúncios e conteúdos personalizados.
Está a utilizar uma versão de browser mais antiga. Utilize uma versão suportada para obter a melhor experiência possível com o MSN.

Justiça francesa investiga evento em viagem de Macron a Las Vegas em 2016

Logótipo de O Jogo O Jogo 07/07/2017 Administrator

A Procuradoria de Paris anunciou hoje que vai investigar suspeitas de favorecimento na organização de um evento durante uma visita do presidente Emmanuel Macron a Las Vegas, Estados Unidos, em 2016, quando era ministro da Economia.

"Com base nos primeiros elementos do inquérito preliminar", aberto a 13 de março, a Procuradoria de Paris decidiu "abrir uma informação judiciária contra desconhecidos por favoritismo", segundo um comunicado.

Em causa está um evento organizado a 6 de janeiro de 2016 em Las Vegas, quando decorria o Consumer Electronics Show (CES), a maior feira de inovação tecnológica, no qual Macron se reuniu com dirigentes de 'start-ups' (empresas emergentes) francesas.

A Business France, a agência pública dirigida na altura pela atual ministra do Trabalho, Muriel Pénicaud, é suspeita de ter infringido a regulamentação sobre mercados públicos ao não lançar um concurso público para a organização do evento, entregue à empresa de comunicação Havas em dezembro de 2015.

"As condições concorrenciais não foram garantidas entre os três prestadores contactados", Havas, Apco e Publicis, concluiu em julho de 2016 uma auditoria do gabinete legal E&Y.

Divulgada pelo diário Libération, a auditoria revelou que não existiu "nenhuma requisição, orçamento, contrato ou fatura", uma situação suscetível de envolver "responsabilidade penal dos envolvidos".

Muriel Pénicaud é suspeita de ter sido informada previamente daquelas irregularidades e de ter retardado a comunicação ao conselho de administração do relatório da auditoria, assim como de, ao fazê-lo, ter apresentado um resumo truncado do mesmo.

Neste quadro, é possível que a ministra venha a ser formalmente acusada com base em "indícios graves e concordantes".

O inquérito visa também apurar que papel desempenharam no caso alguns membros do gabinete de Macron no Ministério da Economia.

AdChoices
AdChoices

Mais de O Jogo

image beaconimage beaconimage beacon