Está a utilizar uma versão de browser mais antiga. Utilize uma versão suportada para obter a melhor experiência possível com o MSN.

Juventude angolana no centro da peregrinação anual à Muxima

Logótipo de O Jogo O Jogo 04/08/2017 Administrator

Milhares de peregrinos estão a caminho do santuário da Muxima, província de Luanda, na peregrinação anual que até domingo junta mais de um milhão de fiéis, este ano com a juventude em destaque, mas um mês antes do habitual.

A edição 2017 da tradicional peregrinação ao Santuário da Muxima decorre nos dias 05 e 06 deste mês, um mês antes da data habitual, no primeiro fim de semana de setembro, devido à realização das eleições gerais em Angola, marcadas para 23 de agosto.

Em declarações hoje à agência Lusa, o reitor daquele santuário, o padre mexicano Albino Reyes, fez saber que estão criadas todas as condições para o arranque da peregrinação, que espera juntar mais de um milhão de fiéis, sobretudo jovens, por ser precisamente o "tema central da romaria" deste ano.

"Com falta de oportunidades de estudos, de formação, emprego, famílias desintegradas, então queremos transmitir uma mensagem de esperança, de confiança, de que não desistam e não escolham caminhos fáceis do álcool, drogas e prostituição o é que pior ou ainda o suicídio", disse o padre.

As celebrações no Santuário da "Mamã Muxima" estarão centradas na juventude, no sentido de transmitir mensagens de esperança e confiança em dias melhores.

"Podermos contar este ano com um maior número de jovens porque a Conferência Episcopal de Angola e São Tomé [CEAST] nos orientou para trabalhar ao longo dessa jornada com o tema da juventude. Então, desde o início, convocamos os jovens para essa peregrinação", explicou o padre.

Localizado a 130 quilómetros de Luanda, aquele santuário é maior centro mariano da África subsaariana, mas o atual templo tem apenas capacidade para 600 pessoas sentadas, com os peregrinos a chegarem pé, de carro, autocarro e até de barco, pelo rio Kwanza.

O governo provincial de Luanda que assegura anualmente o apoio logístico a esta peregrinação até à vila da Muxima.

Aquela vila foi ocupada pelos portugueses em 1589, que dez anos depois construíram uma fortaleza e a igreja de Nossa Senhora da Conceição, também conhecida como "Mamã Muxima", que na língua nacional quimbundu significa "coração".

Albino Reyes avançou que foram disponibilizadas carreiras especiais de transporte dos fiéis para o Santuário da Muxima, no município do Icolo e Bengo, que na vila estão criadas as condições de segurança, saneamento e assistência médica aos peregrinos.

"É necessário que os fiéis passem a maior parte do tempo junto do santuário e que sigam todas as orientações dos membros da organização", apelou.

As celebrações litúrgicas no local de devoção à Muxima serão dirigidas pelo bispo da diocese de Viana, Joaquim Ferreira Lopes, e vão marcar igualmente o 10.º aniversário daquela diocese de Luanda.

AdChoices
AdChoices

Mais de O Jogo

image beaconimage beaconimage beacon