Ao utilizar este serviço e o conteúdo relacionado, concorda com a utilização de cookies para análise, anúncios e conteúdos personalizados.
Está a utilizar uma versão de browser mais antiga. Utilize uma versão suportada para obter a melhor experiência possível com o MSN.

Juventus: a revolta no Nápoles, depois das críticas do FC Porto

Logótipo de O Jogo O Jogo 01/03/2017 Hugo Monteiro

Mais um jogo da Juventus em que a arbitragem volta a estar em foco. Agora na Taça de Itália.

Depois das queixas do FC Porto no jogo da primeira mão dos oitavos de final da Liga dos Campeões, eis que o Nápoles também parece ter perdido a paciência com a arbitragem num encontro com a Juventus. A formação de Turim derrotou por 3-1 a equipa napolitana no primeiro duelo das meias-finais da Taça de Itália, num encontro em que o árbitro foi muito criticado.

© Alessandro Di Marco/EPA

"Quero felicitar os nossos rapazes, mas o que se passou faz mal ao futebol italiano. Reina tocou na bola no segundo penálti, não pode desaparecer. As decisões do árbitro foram vergonhosas", atirou Cristiano Giuntoli, diretor desportivo do Nápoles. Reina era um guarda-redes revoltado. "O resultado mudou com as decisões do árbitro. No penálti de Cuadrado o que posso fazer? Desaparecer? Toda a Itália viu o que se passou", desabafou o espanhol.

A formação napolitana chegou ao intervalo na frente, graças a um golo do espanhol José Callejón, aos 36 minutos, mas, na segunda parte, os adversários do FC Porto nos oitavos de final da Champions deram a volta, com três golos argentinos. Paolo Dybala bisou, com duas grandes penalidades, aos 47 e 69 minutos, e, pelo meio, aos 64, faturou Gonzalo Higuaín, ex-avançado dos napolitanos.

AdChoices
AdChoices

Mais de O Jogo

image beaconimage beaconimage beacon