Está a utilizar uma versão de browser mais antiga. Utilize uma versão suportada para obter a melhor experiência possível com o MSN.

Líder da oposição no Camboja detido por alegada traição ao Governo

Logótipo de O Jogo O Jogo 02/09/2017 Administrator

A polícia do Camboja prendeu o líder do principal partido da oposição, numa operação surpresa à casa do político, que o Governo acusou, pouco depois, de traição.

O líder da oposição, Kem Sokha, foi levado, com as mãos algemadas, após mais de cem agentes terem entrado na sua casa após a meia-noite de domingo, na capital cambojana, Phnom Penh, segundo a sua filha, Monovithya Kem.

Monovithya, que também pertence ao Partido de Salvação Nacional do Camboja, relatou no Twitter que a polícia não tinha um mandado para a detenção do seu pai.

O Governo disse, numa declaração emitida pouco depois, ter provas de que Kem Sokha conspirou com poderes estrangeiros contra o Camboja e apelidou as suas ações de "traição".

O executivo de Hun Sen, um líder autoritário que se mantém no poder há mais de três décadas, tem criado uma pressão crescente sobre os seus críticos, os meios de comunicação e os opositores políticos, antes das eleições nacionais em 2018.

Ameaças legais forçaram o antecessor de Kem Sokha, Sam Rainsy, a abandonar a liderança do Partido de Salvação Nacional do Camboja.

As eleições locais no país realizam-se em junho de 2018 e as eleições gerais estão previstas para o próximo ano.

AdChoices
AdChoices

Mais de O Jogo

image beaconimage beaconimage beacon