Ao utilizar este serviço e o conteúdo relacionado, concorda com a utilização de cookies para análise, anúncios e conteúdos personalizados.
Está a utilizar uma versão de browser mais antiga. Utilize uma versão suportada para obter a melhor experiência possível com o MSN.

Lacunas na lista de Barbosa adiam oficialização dos candidatos ao Paços de Ferreira

Logótipo de O Jogo O Jogo 06/05/2017 Hugo Monteiro

Prazo para a entrega das listas terminou ontem. Paulo Meneses e Carlos Barbosa apresentaram a documentação, mas irregularidades na lista deste último adiaram por um limite de 48 horas a oficialização das candidaturas

A qualquer momento deverão ser anunciadas as candidaturas oficiais às eleições para os órgãos sociais do Paços de Ferreira, que têm lugar na próxima quinta-feira, 11 de Maio. O prazo para a entrega das listas terminou às 19 horas de ontem e, tal como anunciado, há dois candidatos... a candidatos: o actual presidente, Paulo Meneses, e o ex-presidente Carlos Barbosa. No entanto, a lista deste último apresentou algumas irregularidades e o presidente da Assembleia Geral (AG), Fernando Sequeira, concedeu um prazo de 48 horas para que sejam supridas.

Em causa estão a regularização de uma declaração de aceitação de um candidato da lista de Carlos Barbosa - cujo apoio é conhecido na comunidade e não suscitou dúvida ao presidente da AG - e a apresentação de um cartão de sócio. Ambos são documentos essenciais à formalização da candidatura e a ausência deles é fundamento para exclusão. Pelo menos um dos nomes da lista foi retirado, por não preencher todos os requisitos.

Apesar das 48 horas concedida, a documentação em falta na lista de Carlos Barbosa deverá ser entregue ainda este sábado e as candidaturas formalmente anunciadas pelo presidente da AG.

Desconhece-se, por agora, se a mera extensão do prazo poderá vir a constituir fundamento para uma eventual impugnação do acto eleitoral. Esta é uma consequência de uma eleição inédita no clube: no Paços de Ferreira sempre se acordou a formação de uma lista única e esta disputa, além de ser a primeira, é protagonizada por elementos-chave de executivos anteriores.

Ou seja, trata-se de uma cisão numa equipa que conduziu o clube aos melhores resultados de sempre, pelo que a tensão tem marcado este processo, mesmo antes da extensão do prazo para Carlos Barbosa regularizar a candidatura.

© Fábio Poço/Global Imagens

A marcação da data das eleições também não foi pacífica e, no limite, também poderá suscitar a questão de eventual fundamento para impugnação. Os estatutos definem a segunda quinzena de maio, mas os candidatos não se entenderam e acabaram por ser os sócios, em AG, a escolher 11 de maio. A data que, formalmente, colide com os estatutos, traduz a vontade dos sócios e da candidatura de Paulo Meneses.

Desta vez, a vontade de fazer imperar o bom senso levou Fernando Sequeira - também ex-presidente e figura consensual no clube, que se tem multiplicado em apelos à elevação na discussão entre os ex-companheiros de Direção e que chegou mesmo a anunciar ser candidato, na tentativa de evitar este cenário, mas sem sucesso - a dar a Carlos Barbosa a oportunidade de suprir as lacunas, na esperança de que, a qualquer momento, sejam anunciado quem vai a votos na quinta-feira, entre as 10 horas e as 19 horas, no auditório do estádio Capital do Móvel.

AdChoices
AdChoices

Mais de O Jogo

image beaconimage beaconimage beacon